Se solto, só restará a Lula uma única alternativa, mas a sociedade não pode permitir

O processo do sítio de Atibaia caminha com celeridade e deve ser julgado no 2º semestre. Porém, antes disso, é bastante possível que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva seja beneficiado com a progressão do regime, passando do regime fechado para o semiaberto, o que acabará resultando numa prisão domiciliar.

Solto, só restará ao meliante petista uma única alternativa. Envidar todos os seus esforços, poder e dinheiro para restabelecer a impunidade no país.

O jornalista Diogo Mainardi, em artigo publicado nesta quinta-feira (4) na revista Crusoé, esclarece com propriedade o dilema do criminoso:

“Lula na cadeia representa a maior conquista da democracia brasileira. É uma espécie de rito de passagem, uma prova de maturidade institucional. E isso se renova a cada derrota acachapante que ele sofre, desde 2015: nos tribunais, nas ruas, nas urnas.”
(...)
“Pelas contas do STJ, Lula deve ser transferido para o regime semiaberto em agosto, antes de cumprir um sexto de sua pena. É preciso impedir, porém, que isso resulte no aniquilamento da Lava Jato, como pretendem os criminosos que rapinaram o telefone celular de Deltan Dallagnol. O retorno da impunidade é o único caminho que resta a Lula. Porque, se seus processos forem adiante, ele será preso novamente. Manter Lula na cadeia está dando mais trabalho do que mandar Lula para a cadeia. Mas encarcerá-lo pela segunda vez será duas vezes mais complicado. E terá de ser festejado em dobro.”
da Redação

Comentários