A grandiosidade da pureza diante da escuridão da natureza humana (Assista ao vídeo)

O espanto encara a realidade da vida

A criança se socorre no colo do pai e formula as perguntas e respostas, uma a uma, com impressionante racionalidade, dado a sua tenra idade.

De frente com a realidade mais escura da vida, a criança tenta entender, com o apoio de seu pai, as razões dos acontecimentos e as razões das reações das demais pessoas.

Todo o diálogo foi desenvolvido depois da pergunta do repórter: - Você entende o que aconteceu? Você entende por que aquelas pessoas fizeram aquilo?

Sim, porque eles são realmente malvados. Responde a criança. E continua: Caras maus não são muito legais. E... nós temos que ter muito cuidado porque temos que mudar de casa.

Rapidamente o pai intervém e tenta acalmar o ânimo da criança dizendo-lhe: Ah, não se preocupe... nós não precisamos nos mudar. A França é nosso lar, completa o pai.

A criança retruca: - Mas existem caras maus, papai... E o pai justifica: - Sim, mas existem caras maus em todos os lugares.

A criança contra-argumenta: - Eles têm armas, eles podem atirar em nós porque eles são muito, muito malvados, papai. E o pai responde: - É certo, eles podem ter armas mas nós temos flores. E a criança: - Mas flores não fazem nada. Elas são para...elas são para... O pai o interrompe e justifica: Claro que elas fazem, veja, todo mundo está colocando flores. É para lutar contra as armas. A criança pergunta: - É para proteger? – Exatamente, responde o pai. E as velas também?, completa a criança. E o pai explica: - Isto é para relembrar as pessoas que se foram ontem. A criança tentando entender insiste: - As flores e as velas estão aqui para nos proteger? – Sim. Confirma o pai. – Você se sente melhor agora? Pergunta o repórter. – Sim, me sinto melhor. Responde a criança.

O que dizer a respeito? Causou-me, pessoalmente, muita impressão. Observem as expressões faciais de pai e filho. Impressiona o misto de serenidade, preocupação, justificação e solidariedade.

Os argumentos desta criança superam de antemão qualquer argumento ou comentário que eu possa apor neste texto. Fico por aqui!!!

A entrevista foi levada ao ar pelo Le Petit Journal da TV Francesa.

 

JM Almeida

JM Almeida

João Maurino Sernaglia  Almeida Filho. Bacharel em Ciências Econômicas e Ciências Jurídicas. Professor liberal de Matemática Financeira Aplicada. Investigador da Filosofia. Investigador Criticista/Racionalista

Mais de JM Almeida

Comentários

Notícias relacionadas