A nova bomba do Intercept divulgada por Reinaldo é “música para os nossos ouvidos”

A nova bomba do IntercePT que o Reinaldo Azevedo divulgou hoje (como sendo algo ABSURDOOOOO) é uma conversa onde Deltan pede se alguns valores que a lava jato já recolheu de corruptos, poderiam ser usados para pagar os vídeos da campanha das 10 medidas contra a corrupção.

Me perdoem os mais moralistas, mas eu não vejo nenhum problema num juiz que apreende carros importados de bandidos, doar esses carros para a polícia! Por que deixá-los estragando no pátio da PF enquanto a PM anda de carro popular?

Armas do tráfico a mesma coisa! Traficantes têm armas que policiais comuns não têm!

Em março de 2018 os sites noticiaram que a lava jato recuperou 11.9 BILHÕES dos corruptos, qual o problema de tirar 38 mil reais para criar e espalhar nas TVs, um vídeo de conscientização sobre a importância das 10 medidas contra a corrupção?

No diálogo Deltan ainda diz o seguinte:

“Se achar ruim em algum aspecto, há alternativas que estamos avaliando, como crowdfunding e cotização entre as pessoas envolvidas na campanha (artistas globais que fizeram o vídeo). Avalie de modo absolutamente livre e se achar que pode de qualquer modo arranhar a imagem da Lava Jato de alguma forma, nem nós queremos...”

Isso é música para nossos ouvidos!

É colírio para os olhos!

Um funcionário público querendo tirar do próprio bolso para conscientizar a população???

Se eu fosse vocês não espalharia isso...

Só estão deixando o Deltan mais queridinho ainda no pais!!

Usar o próprio dinheiro do crime contra o criminoso é pecado na cartilha onde rezam os esquerdistas. Isso é para preservar o patrimônio dos comparsas que sonham sair da cadeia e recuperar seus carros, casas, helicópteros, barcos, sítios, triplex...

Deltan não passa frio em Curitiba porque está coberto de razão!

Ahhh...E para fim de comparação, o vídeo das 10 medidas custaria 38 mil reais, já o vídeo do Banco do Brasil que Bolsonaro vetou, custou 1 milhão de reais!

Afinal, vocês soltam essas matérias para convencer quem?

Raquel Brugnera

Pós Graduando em Comunicação Eleitoral, Estratégia e Marketing Político - Universidade Estácio de Sá - RJ.

Comentários