As caneladas do presidente. Conheça no Rio a “Feira dos Paraíbas”...

Bolsonaro foi eleito falando a língua do povo, com as pautas que o povo escolheu, e sempre se comportou como um homem simples. Ainda assim, parte da imprensa está fazendo muito barulho por nada, preocupada com os bons modos do presidente (como se Nine Fingers ou Dilmãe fossem os reis dos bons modos...). Vamos traduzir aqui algumas caneladas que feriram a sensibilidade dos fofuchos vermelhos, e também dos isentões que amam seus corruptos em segredo.

1- Armadilhas da imprensa Lula livre

“Em terra de Verdevaldo, quem tem dois olhos não enxerga nada.” - Novo ditado popular.

Apesar da disposição do presidente e de seus ministros em conversar com a imprensa, mostrar o que o governo está fazendo, há uma clara má vontade e, pior do que isso, uma evidente determinação de distorcer TUDO que Bolsonaro e seus ministros falam, além de ocultar a agenda positiva. Assim alimentam diariamente a coluna social do fascismo imaginário. Entrem, por exemplo, no Twitter do Ministério da Infraestrutura e acompanhem o que está sendo feito pelo ministro Tarcísio de Freitas. Em 180 dias, foram realizadas concessões de 23 aeroportos, 10 áreas portuárias e de um trecho da Ferrovia Norte-Sul, além da conclusão de importantes obras públicas. Por que isso não é manchete dos jornais nem destaque na TV?

Depois de 20 anos, o Brasil fechou um grande acordo com a União Europeia, em um show de política externa. Os índices de violência estão finalmente diminuindo no país. Porém, o papel de boa parte da imprensa é represar as ações positivas e efeitos do governo atual, que seriam também geradores de confiança e estímulo. Desviar o foco, plantar narrativas absurdas, divulgar pesquisas furadas e chamar especialistas do Piçol para opinar, eis o papel de muitos militantes Lula livre na grande mídia. A quem interessa fomentar a desinformação e o pânico na população? Aos mesmos senhores que acusam juízes honestos e idolatram vagabundos?

2- Sobre o filme da Bruna Surfistinha...

Em um país que não tem saneamento básico para todos, não se pode pensar em gastar milhões numa peça cinematográfica que não dê o mesmo retorno financeiro aos COFRES PÚBLICOS. Os filmes Ninfomaníaca ou Azul a Cor mais Quente, grandes sucessos, por exemplo, não contaram com milhões em verbas públicas para que fossem feitos. O Brasil tem outras prioridades, e o cinema estatal não me parece uma delas. Enquanto tiver gente cagando num buraco, sem água ou morrendo na porta de hospitais, o dinheiro deve ser direcionado para resolver problemas urgentes da nação. Mas a esquerda em peso, a mídia de aluguel e os intelectuais, ficaram “cho-ca-dos” com a afirmação do presidente. “Ain para bozo coisooooooo!”

3- Café com bobagem...

Bolsonaro fez uma crítica de três segundos ao governador Flavio Dino, do Maranhão, em off, durante um café com jornalistas. Na sequência, divulgaram e distorceram a frase do presidente, como se fosse um ataque a todos os nordestinos! O Maranhão atualmente é o estado mais pobre do país, sangrado há anos pela mesma família e agora por um governador comunista... Ou seja, o que o povo do nordeste precisa é de governantes que trabalhem DE VERDADE em prol da população sofrida, e não percam tempo com ideologias inúteis, usando vitimismo na TV, plantando narrativas e distribuindo benesses aos companheiros de corrupção.

Tendo em vista toda essa animosidade da imprensa vermelha e predisposição em gerar factoides contra o governo, acredito que não tenha necessidade do presidente se expor nesse café com bobagem. Aconselho um café com ministros, ou apenas um cafezinho semanal com o povo, em rede nacional, para contar tudo que o governo está fazendo e desmentir as fake news diárias.

4- A reforma dos paraíbas

A mídia agora está tentando atacar as reformas econômicas de maneira bem tosca. A narrativa do momento é dizer que o “presidente xenófobo” perdeu apoio dos políticos do nordeste. Não demora muito e a mesma mídia vai dizer que o presidente da Câmara dos Deputados salvou as reformas, articulando e se desculpando pessoalmente com cada parlamentar nordestino nos bastidores. Ah, e por falar em presidente da Câmara, andam dizendo por aí que ele é o grande estadista do Brasil, por tudo que fez pela aprovação da Reforma da Previdência! Vejam vocês, o Botafogo no esquema da Odebrecht, grande estadista da imprensa de aluguel... é para rolar de rir... Ou chorar? Pior ainda é ouvir que a Reforma da Previdência não tem nada a ver com o Ministro Paulo Guedes, e que Sérgio Moro é um agente da CIA ou um ladrão. Que vexame dos canalhas... Que papelão! O outro lado do muro de Berlim está a cada dia mais doente e isolado da realidade.

Em tempo, convido a todos os leitores que estiverem no Rio de Janeiro a conhecerem o Centro Luiz Gonzaga de Tradições Nordestinas, conhecido popularmente como Feira dos Paraíbas, em São Cristóvão, lugar incrível. A melhor comida e o melhor forró da cidade! Um abraço para o povo do nordeste, de quem sou neto e bisneto com muito orgulho.

Allan Pitz

Escritor e roteirista. Saiba mais sobre o trabalho do autor no site: http://www.allanpitz.com/

Comentários