Sérgio Moro retira status de refugiado de três terroristas do Exército do Povo Paraguaio

Lula havia concedido proteção aos terroristas em 2003.

Nesta terça-feira (23), o ministro da Justiça e Segurança Pública, Sério Moro, retirou o status de refugiado de três terroristas do Exército do Povo Paraguaio (EPP). O anúncio foi realizado através de sua conta oficial no Twitter.

Os terroristas terão de voltar aos seus países onde pagarão pelos seus crimes, assim como aconteceu com Cesare Battisti, preso na Itália após Jair Bolsonaro prometer sua extradição.

Moro declarou que o país não será mais "terra sem lei":

O Brasil não será mais refúgio para estrangeiros acusados ou condenados por crimes comuns (no caso, extorsão mediante sequestro), seja de Battisti, Arrom, Martí ou de outros.

Com o comunicado, o presidente paraguaio, Marito Abdo, comemorou:

"Ministro da Justiça do Brasil cancelou definitivamente o status de refugiados de Arrom e Martí. Chegou a hora de eles darem conta de suas ações perante a justiça paraguaia. Que a verdade venha sempre à luz!"

Jair Bolsonaro também manifestou-se afirmando que o Brasil não mais será refúgio de canalhas travestidos de presos políticos.

da Redação

Comentários