Folha persiste na parceria com Verdevaldo e novamente se dá mal em ataque a Deltan

A desmoralização da Folha de S.Paulo prossegue e parece ser incontrolável.

A sanha em desmoralizar a Operação Lava Jato e, notadamente o procurador Deltan Dallagnol, vai se esvaindo num amontoado de publicações sem nexo com inúmeras afirmações que são desmentidas pelos próprios textos de seus jornalistas. Uma vergonha!

A reportagem desta sexta-feira (26) é mais um notório exemplo e extrapola os limites do bom senso e da imoralidade.

O título, como sempre, abusa no sensacionalismo:

“Deltan foi pago por palestra em empresa citada na Lava Jato.”

A empresa é a Neoway, aquela da qual o ex-tenista Gustavo Kuerten é garoto propaganda e que atua no setor de tecnologia.

A empresa foi citada na delação de Jorge Luz. O procurador quando deu a palestra não tinha conhecimento deste fato.

Ao tomar conhecimento da situação, mais uma vez demonstrando a sua honestidade e maneira escorreita de atuação, o próprio Deltan escreveu a seguinte mensagem no grupo de procuradores, conforme o conteúdo roubado pela gang de Glenn:

“Dando uma passada de olhos nos anexos do Luz, vejam o que achei. Empresa de TI que veio apresentar produtos de TI para LJ.”

E também:

“Isso é um pepino pra mim. É uma brecha que pode ser usada para me atacar (e a LJ), porque dei palestra remunerada para a Neoway, que vende tecnologia para compliance e due diligence, jamais imaginando que poderia aparecer ou estaria em alguma delação sendo negociada.”

Na sequência, o próprio Deltan afastou-se do caso em que a Neoway era citada.

Decência ímpar, para Deltan.

Indecência e desmoralização para a Folha.

da Redação

Comentários