Envolvimento entre Manuela, Vermelho e Glenn é gravíssimo e a PF está próxima de desvendar toda a trama

A primeira declaração de Manuela D’Ávila, em nota divulgada a imprensa, logo após ter sido apontada como o elo de ligação entre o hacker e o pseudo jornalista Glenn Greenwald, foi a seguinte (leia com atenção):

“Pela invasão do meu celular e pelas mensagens enviadas, imaginei que se tratasse de alguma armadilha montada por meus adversários políticos. Por isso, apesar de ser jornalista e por estar apta a produzir matérias com sigilo de fonte, repassei ao invasor do meu celular o contato do reconhecido e renomado jornalista investigativo Glenn Greenwald.”

Parece estranho, inusitado. Cadê o boletim de ocorrência comunicando a autoridade policial sobre a invasão do celular, um crime?

Não. Manu em vez de comunicar a polícia a gravíssima ocorrência criminosa fez amizade com o bandido e lhe forneceu o contato de Glenn Greenwald. Surpreendente!

Entretanto, a história assombrosa montada prossegue.

O bandido, contumaz na aplicação de golpes, golpista e também acusado de estupro cometido contra a esposa do próprio irmão, ou seja, de alta periculosidade, faz contato com o renomado jornalista (ou renomado picareta internacional) e entrega todo o material de graça, sem cobrar nenhum centavo, por mero “patriotismo”.

‘Vermelho’, a alcunha pela qual o hacker Walter Delgatti Neto é conhecido, é um sujeito sem ocupação definida, que atualmente responde a seis processos na Justiça (está quase alcançando o Lula), pela prática dos seguintes crimes: estelionato, furto qualificado, apropriação indébita e tráfico de drogas.

Parece evidente que com o material que Vermelho conseguiu ilicitamente, cometendo novos crimes, não foi entregue por mero “interesse público”. Ora, o rapaz construiu a sua trajetória aplicando golpes, difícil que repentinamente tenha se regenerado.

Não temos dúvida de que a PF vai desvendar tudo.

da Redação

Comentários