O apoio de Trump ao Zero Três

Em política e na vida, as boas relações são fundamentais.

Mais importantes, certamente, do que regras frias, impessoais e formais.

Algumas dessas regras já foram quebradas por Jair Bolsonaro, antes, durante e depois da campanha presidencial brasileira.

Em nome do bom senso.

E com o apoio da sociedade que o elegeu.

Nunca é demais lembrar: Jair Bolsonaro age em sintonia com a vontade da maioria do povo do país.

É sua marca: a comunicação frequente com a sociedade.

A indicação de Eduardo Bolsonaro para a embaixada brasileira em Washington, entretanto, não parece quebrar nenhuma das regras brasileiras, ao contrário do que se ouve na gritaria histérica da esquerda.

O presidente indica quem quiser para o cargo, mas não é dele a aprovação da indicação; o candidato é sabatinado pela Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional do Senado e caso aprovado é submetido ainda à votação no plenário.

Os mesmos que hoje berram 'nepotismo’ se esquecem milagrosamente da conduta imoral dos governos lula e dilma, indicando amigos e parentes para cargos públicos.

Enfim, é a boa relação de Bolsonaro com Donald Trump a causa da sinalização favorável do presidente americano em relação à negociação entre os EUA e Brasil no caso do Mercosul.

E, hoje, ao apoio que Trump dá à indicação de Eduardo para a embaixada brasileira em seu país.

O que impulsionaria, como disse o próprio Trump, as relações comerciais entre os dois países.

Essas perspectivas, agora abertas, são excelentes para o Brasil, e só não enxerga isso os que optaram pela cegueira voluntária que é marca registrada dos esquerdopatas.

Assim como o retrocesso.

Marco Angeli Full

https://www.marcoangeli.com.br

Artista plástico, publicitário e diretor de criação.

Comentários