Sobre o pedido de 750 advogados petistas: “Impossível uma autoridade séria aceitar afastamento de Moro”, diz Eliana Calmon

Um grupo de 750 advogados com vínculos umbilicais com a esquerda brasileira, o PT e a bandidagem engaiolada pela Lava Jato, aqueles mesmos que defendem a soltura do meliante Luiz Inácio Lula da Silva, produziu um abaixo-assinado que pede o afastamento de Sérgio Moro do cargo de ministro da Justiça.

O grupo faz acusações absolutamente descabidas, sem qualquer consistência e baseada nas mensagens roubadas que vem sendo divulgadas pela extrema-imprensa.

É lamentável que cidadãos que supostamente detém conhecimento façam esse tipo de investida contra uma pessoa da estatura moral de Sérgio Moro.

Felizmente, num universo de mais de 1 milhão de advogados, essa turma só conseguiu 750 assinaturas.

Todavia, a ex-ministra do Superior Tribunal de Justiça (STJ) Eliana Calmon, reconhecida internacionalmente por sua extrema honestidade e elevados conhecimentos jurídicos, em entrevista ao jornalista José Nêumanne Pinto, foi categórica:

“Inteiramente improvável e até mesmo impossível aceitar uma autoridade séria o pedido de afastamento do ministro Sérgio Moro.”

Calmon ainda complementou explicando que as mensagens roubadas denotam apenas a rotinas das relações entre juízes e membros do Ministério Público:

“Não se pode exigir que o juiz tenha com o advogado de defesa a mesma comunicação que tem com os membros do Ministério Público. Basta observar que o MP se senta à direita do magistrado e o acompanha nos intervalos das sessões, quando a Corte se retira da sala de audiência. Nos tribunais os advogados, por mais intimidade que tenham com os julgadores, não passam do cancelo, o que já é um indicativo da diferença entre eles”
da Redação

Comentários