Os filhos de Bolsonaro tem o direito de saber quem mandou matar o pai, mas a OAB interfere

O militante do PT, ora presidente da OAB, afirma que país “vive clima de ódio”, e como é usual da extrema esquerda, diz que está sendo ameaçado e corre risco de vida. (frase feita que significa risco de perder a vida, daí risco de morte ser uma bobagem, mas é correto dizer risco de morrer).

Concordo. Senão vejamos.

O atual presidente da OAB, Felipe Santa Cruz ofendeu uma série de advogados que questionaram um evento sobre “fake news” divulgado por ele no Twitter.

Ao bater boca com os críticos, Felipe afirmou:

“Pelo menos eu sei quem é meu pai. Os filhos da puta não costumam saber…”

Uma das advogadas presentes na discussão, Flavia Ferronato, replicou:

“Algum problema com putas? Alguma espécie de preconceito?”

O presidente da OAB – cujo escritório recebeu R$ 2,8 milhões da Petrobras sem licitação – retrucou Flávia:

“Desculpa se ofendi sua profissão”.

No que Flávia respondeu:

“Se ser advogada é ser puta, muito prazer…”

As mensagens foram apagadas por Felipe Santa Cruz, mas o santo print sempre salva.

O dr. Felipe Santa Cruz também chamou o Ministro Sérgio Moro de “chefe de quadrilha”.

Como se não bastasse, last but not least, o mesmo Santa Cruz quis saber que informações o presidente Bolsonaro tinha sobre a morte do seu pai. Como filho, disse ele, tem esse direito.

Respondeu Bolsonaro que o pai do militante, segundo informações da época, foi assassinado pelo sanguinário grupo Ação Popular, do qual fazia parte, e não pelos militares.

No entanto, os 5 filhos do Presidente Bolsonaro querem saber quem mandou matar o pai deles e a OAB comandada pelo militante não deixa. Como sempre, dois pesos e duas medidas.

Resultado desse imbróglio: segundo a Veja, “O ministro Luís Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal (STF), deu um prazo de 15 dias para que o presidente Jair Bolsonaro responda à interpelação feita pelo presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Felipe Santa Cruz.”

Por prerrogativa do cargo, o presidente Bolsonaro, pode ou não responder, mas ele já disse que vai mandar até um vídeo do que disse para o Ministro. Que não contém ofensa alguma ao pai do Santa Cruz. Que nome para um ateu rsrsrs. Credo.

Resultado 2, para o presidente da OAB: dois pedidos de cassação de mandato.

Segundo matéria do Jornal da Cidade Online, “A Associação dos Advogados e Estagiários do Estado do Rio de Janeiro (AAEERJ) ingressou na quarta-feira (31) com um processo que revindica mandado de segurança e pedido de afastamento liminar contra Felipe de Santa Cruz Oliveira, presidente nacional da OAB.

Segundo o documento, obtido pelo jornal, Santa Cruz “vem trazendo prejuízos de caráter irreversíveis para toda a advocacia brasileira, visto que, constantemente vem a público e em nome da classe e da Instituição, insiste com manifestações políticas partidárias, configurando desvio de finalidade, usando a máquina para fazer política voltada aos interesses de sua ideologia política contra o governo federal, sem prévia consulta da classe de mais de um milhão e cem mil advogados, o que é vetado pelo Estatuto da OAB, lei 8.906/94 e o Código de Ética”.

O texto do pedido ressalta que “essa conduta reiterada, mesmo sendo alertado, caracteriza quebra de decoro e ofensa à classe de advogados nas declarações vulgares e incompatíveis com o cargo, tornando público ao ponto de desmoralizar e fazer despencar a credibilidade da advocacia nacional, afrontada com os milhares e milhares de comentários que colocam a advocacia nacional no fundo do poço, atitude esta, indigna para um representante de classe”.

Edificante, não?

Lucia Sweet

Jornalista

O jornalismo em que você confia depende de você. Colabore com a independência do Jornal da Cidade Online doando qualquer valor. Acesse: apoia.se/jornaldacidadeonline

Comentários