Numa só frase, a inversão de valores de Gilmar quando se refere a uma eventual conta sua no exterior (Veja o Vídeo)

O ministro Gilmar Mendes ofende bruscamente a capacidade de mínima percepção, raciocínio e inteligência do cidadão brasileiro.

Os seus ataques a Operação Lava Jato beiram a insanidade e ultrapassam os limites da audácia e da petulância.

Baliza as suas afrontas em mensagens roubadas, sem qualquer perícia. Gilmar sabe perfeitamente que somente a autenticação das mensagens poderia fornecer, se fosse o caso, um começo de prova.

Entretanto, e ele também sabe disso, as tais mensagens só demonstram uma tentativa medíocre de manchar reputações, atribuindo falsas narrativas a frases soltas revestidas de uma longa e maldosa interpretação.

Por outro lado, o mesmo Gilmar, é capaz de afirmar que os procuradores, tão somente para incriminá-lo, poderiam forjar uma conta sua no exterior.

Pelo visto, diante dessa afirmação, essa conta existe.

Cabe a cada um imaginar alguém disfarçado de Gilmar, abrindo uma conta e depositando dólares em um banco da Suíça.

Parece uma tarefa bem mais difícil do que um gangster americano travestido de jornalista adulterar mensagens roubadas.

Todavia, no gangster Verdevaldo, Gilmar deposita total confiança e, do alto de seu poder, proibiu que o pilantra seja investigado.

Quanto aos procuradores, homens de reputação ilibada, detentores de cargos importantes e que recuperaram bilhões de dólares para os cofres públicos, para o ministro eles formam uma Orcrim.

Cada leitor que faça o seu juízo e descubra quem é o grande bandido.

Veja o vídeo:

da Redação

Comentários