Santa Cruz, o presidente da OAB, pode ser condenado a dois anos de prisão pelo crime de calúnia

Finalmente! Sérgio Moro pede a PGR que abra investigações contra Santa Cruz, presidente da OAB, por ter dito que o ministro “banca o chefe de quadrilha em relação aos hackers”.

Mera CALÚNIA!

Primeiro o absurdo em si, MORO é uma vítima dos hackers. Quem tem uma quadrilha é quem fez acordos com os hackers, a fim de desmoralizar uma operação policial para tentar convencer os juízes que convém deixar alguns corruptos livres porque eles merecem usufruir do dinheiro roubando em paz!

Segundo, há meses bato na tecla que nós, pessoas de bem, estamos na batalha desgastante do enfrentamento todos os dias!

Ouvimos bobagens, somos acusados de nazistas, racistas, fascistas e continuamos na briga. Estava mais do que na hora dos membros do governo entrarem para a guerra e rolar na lama também.

Ninguém mais aguentava fazer a defesa espontânea do governo e ver que os ofendidos não tomavam atitude alguma!

Bem vindos ao nosso mundo.

Bateu, levou!

Eis o que o Santa Cruz arrumou:

“Artigo 138: Caluniar alguém, imputando-lhe falsamente fato definido como crime: Pena – detenção, de 6 (seis) meses a 2 (anos), e multa. § 1º: Na mesma pena incorre quem, sabendo falsa a imputação, a propala ou divulga. ... Conceito: A calúnia é a falsa imputação de fato definido como crime.”

Logo após tomar conhecimento das medidas tomadas pelo ministro Sérgio Moro, Santa Cruz, covardemente, recuou, expedindo nota onde diz que “a crítica feita foi jurídica e institucional, por meio de uma analogia e não imputando qualquer crime ao ministro”. O presidente da OAB reconheceu, que na entrevista ao programa Roda Viva, da TV Cultura, a analogia estava “acima do tom”.

Raquel Brugnera

Pós Graduando em Comunicação Eleitoral, Estratégia e Marketing Político - Universidade Estácio de Sá - RJ.

Comentários