Covarde, presidente da OAB pede arrego no primeiro tranco de Sérgio Moro

O sujeito não sustenta o que diz.

Nunca teve a humildade para se retratar ante as calúnias assacadas contra o ministro Sérgio Moro.

Com ligações umbilicais com o PT, que envolvem contratos nebulosos com a Petrobras, esse moço ousou dizer que Sérgio Moro ‘bancava’ o ‘chefe de quadrilha’.

Ato contínuo, a extrema-imprensa deu ampla divulgação a esse atrevimento desse sujeito indigno.

Pois bem, o ex-magistrado resolveu tomar uma atitude e requereu a Procuradora-Geral da República que investigue o caricato advogado por suposto crime de calúnia.

Bastou isso para o covarde arregar.

Eis o bizarro recuo:

“Minha afirmação não teve, em qualquer momento, a motivação de ofender a honra do ministro Sérgio Moro. Ao contrário, a crítica feita foi jurídica e institucional, por meio de uma analogia e não imputando qualquer crime ao ministro”.

Ora, o sujeito disse que o ministro “usa o cargo, aniquila a independência da Polícia Federal e ainda banca o chefe de quadrilha ao dizer que sabe das conversas de autoridades que não são investigadas” no caso das mensagens divulgadas pelo site “The Intercept Brasil”.

Fatalmente será condenado.

Parece óbvio que é um infame caluniador.

da Redação

Comentários