Delcídio é preso por obstrução da Justiça

O senador Delcídio do Amaral (PT/MS) foi preso nesta quarta-feira (25) em Brasília. A ordem de prisão foi dada pelo STF (Supremo Tribunal Federal). O motivo seria obstrução da Justiça.
O senador de Mato Grosso do Sul, líder do governo, estaria atrapalhando as investigações da Operação Lava Jato.
O chefe de gabinete do senador, Diogo Ferreira e o banqueiro André Esteves, do BTG Pactual, que estariam envolvidos nas irregularidades. também foram presos.
Delcídio foi citado na delação do lobista conhecido como Fernando Baiano. No depoimento, Baiano disse que Delcídio recebeu US$ 1,5 milhão de dólares de propina pela compra da refinaria. Mas a complicação maior para Delcídio estaria na eventual delação de Nestor Cerveró, ex-diretor da Petrobrás.
Também foram realizadas buscas e apreensões no gabinete de Delcídio, no Congresso. Buscas estão sendo feitas na casa do petista em Mato Grosso do Sul.
O Ministério Público Federal apresentou evidências de que ele tentava conturbar as investigações da Operação Lava Jato.
O senador estaria atuando ativamente num plano de fuga para Nestor Cerveró.
Ele foi flagrado em gravações onde discutia em detalhes com o filho de Cerveró e o advogado, que rotas deveriam ser usadas na evasão.
O plano seria implementado tão logo fosse concedido habeas corpus para livrar Cerveró da cadeia.
Por outro lado, Delcídio tem forte ligação com o empresário José Carlos Bumlai.
É a primeira vez que um senador é preso no exercício do cargo, já que a Constituição Federal só permite a prisão de parlamentar em crime flagrante. Neste tipo de ação, de obstrução de investigação, a conduta é considerada crime permanente. É um dos poucos motivos que leva a corte a aceitar prisão preventiva de réu ainda sem julgamento.


                                       https://www.facebook.com/jornaldacidadeonline
Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o site do Jornal da Cidade Online. 

da Redação

Notícias relacionadas

Comentários

Mais em Política