Os traidores

O governo do Presidente da República Jair Bolsonaro tem feito, ao meu entender, excelentes escolhas e apresentados ótimos projetos e medidas. Seria insalubre comparar o atual governo com os 16 (dezesseis) anos anteriores, em que a vanguarda do atraso e a Organização Criminosa travestida de ParTido PolíTico esteve à frente do poder. É de todo impossível haver qualquer comparação do governo Bolsonaro, com os (des)governos de Lula e Dilma Rousseff.

Digo mais, nem é bom que se faça qualquer comparação. Ora veja, os tempos atuais traduzem escolhas decisões, via de regra, salvo algumas exceções, pautadas pela coerência entre as propostas feitas ao longo da campanha eleitoral, com o real exercício do poder. Ao passo que os tempos PreTéritos, o que se observava era o uso do poder pelo poder, para fins escusos e comPleTamente ilícitos.

Infelizmente, como todo governo, sempre há aqueles que destoam (e muito) e querem bagunçar o coreto, mesmo “sedizendo” membros do poder ou integrantes da base governista.

E também há de se registrar, que sempre existem exceções, dentre escolhidos, que não atendem, e passam ao largo de atender, aos requisitos elementares esperados por quem firmou as nomeações.

Muito pelo contrário, estas exceções, na verdade, pertencem ao campo do incompreensível, e são exatamente elas que dão munição para os ataques dos opositores e das ideologias de oposição que usam de toda ordem de exPedienTes, em especial os inconstitucionais e ilícitos, para questionar quem governa. As “pedras no sapato” e as verdadeiras fragilidades do governo Bolsonaro são lulantemente óbvias.

Só não vê, quem não quer ou quem é néscio. Dois partidos são os responsáveis imediatos pelo imenso desgaste do governo Bolsonaro, quais sejam o DEM e o PP. O primeiro desgaste evidenciado pelo fato do DEM e o PP votarem contra determinados projetos de autoria do próprio governo, causado crassas, irreparáveis e inadmissíveis fissuras na própria base governista que dizem integrar.

“Fogo amigo” e “inimigos na trincheira” só contribuem para a derrota das batalhas e podem levar a perda da guerra. Mas, nada que o determinismo ou o atavismo não explique a perícia destes que tem por hábito e manifesto interesse “fazer gol contra”.

O segundo desgaste, perante a “imprensa marrom”, a qual sabe como ninguém ter encontrado no atual governo Bolsonaro, felizmente, o fechamento das torneiras e dos bilhões e bilhões de recursos públicos que, nos tempos da vanguarda do atraso e da Organização Criminosa travestida de ParTido PolíTico, eram enviados, sem dó nem piedade, formando verdadeiros dutos e dragas para a divulgação de tudo que fosse de “interesse de quem governava” e logicamente se “locuPleTava”.

Uma espécie de ode à total parcialidade. E neste contexto, tanto proliferaram veículos de comunicação de 5ª categoria (jornais, sites, blogs, rádios, emissoras de TV, etc), promovendo um desserviço ao jornalismo e ao dever de informar de forma ética e responsável, quanto procriaram pseudo-jornalistas que se nutriram e executaram este desserviço, constrangendo até mesmo a vida dos vermes.

O terceiro desgaste, lógico, com a opinião pública dos cidadãos brasileiros de bem. Ontem, mais um capítulo da mediocridade de muitos “sedizentes” aliados do atual governo veio à tona, qual seja, o da votação do texto base do ProjeTo de Lei de abuso de autoridade.

Fizeram parte desta cena, primeiramente, o Senador Randolfe Rodrigues, uma vez que é autor do ProjeTo, e que em outros tempos, no dia da votação do “impeachment” de Dilma Rousseff, votou pela absolvição da inconfundível “ensacadora de ventos”, como se ela fosse uma ingênua Senhora que não sabia o que fez com a nação. O outro grande ProTagonista desta votação foi o partido DEM, uma vez que o Presidente da Câmara dos Deputados, foi eleito por esta legenda, mas verdade seja dita, que de Democratas não tem absolutamente nada.

Apenas para situar o leitor, mister esclarecer que o ProjeTo da Lei de abuso de autoridade que foi votado ontem pela primeira vez quer promover, notadamente, pasmem, a punição de procuradores e juízes que ousam combater a corrupção de políticos. Algo sem precedentes, que impactará, se aprovado definitivamente, no fim do país, no império da delinquência e no reino da bandidagem.

Pois bem, para decepção geral da nação, foi Rodrigo Maia que aceitou a VOTAÇÃO SECRETA do texto inicial deste ProjeTo. Embora seja óbvio dizer, a VOTAÇÃO SECRETA é o avesso de votação nominal e impede que os cidadãos de bem conheçam, pelo nome, como votou cada representante eleito. E isso, francamente, de Democrata mesmo, não tem absolutamente nada. Muito pelo contrário, Democratas de verdade, não propõem, não permitem e não participam de votações secretas e de qualquer ato que implique a falta de transparência.

Democratas de verdade, se insurgem, contra estes exPedienTes, impedindo que eles aconteçam, que eles sejam propostos e votam contrariamente nesse sentido.

Democratas de verdade, com coragem, obstaculizam, obstruem, fazem moções e se articulam para que que as VOTAÇÕES SECRETAS jamais ocorram. Todavia, nem de longe foi o que se observou. VOTAÇÕES SECRETAS são típica de COVARDES que querem oficializar suas negociatas, suas tramóias, suas safadezas, suas PaTacoadas, suas PaTuscadas com o que há de mais repugnante da PoliTicagem.

Ora, ora, não foi por acaso que o DEM e Rodrigo Maia acabaram viabilizando a VOTAÇÃO SECRETA. Como não lembrar que Rodrigo Maia consta nas planilhas do pagamento de propinas da Odebrecht, com o apelido de “BOTAFOGO”, para descobrir as “razões” da viabilização desta VOTAÇÃO COVARDE e CANALHA que ocorreu.

Pois mau, ontem, o “BOTAFOGO”, humilhando e constrangendo não só os cidadãos de bem torcedores do time da estrela solitária, mas também todos os cidadãos de bem do Brasil que torcem por qualquer outro time, infelizmente, “VENCEU ESTA PARTIDA”.

Ao que se vê não bastou a inesquecível TRAIÇÃO do DEM, quando da votação do projeto do governo Bolsonaro, que objetivava deslocar o COAF do Ministério da Economia (das mãos de Paulo Guedes), para o Ministério da Justiça (para as mãos de Sérgio Moro), que tinha o intuito de dar mais celeridade às investigações daqueles envolvidos até as entranhas na Operação Lava Jato, haja vista que Sérgio Moro tem conhecimento infinitamente maior que Paulo Guedes, neste particular e sabe, como ninguém, operar o COAF, a ponto de ser uma unanimidade entre todo o quadro de servidores desta entidade.

Foi o DEM de RODRIGO MAIA, um dos grandes responsáveis pela PRIMEIRA GRANDE TRAIÇÃO ao governo Bolsonaro, provavelmente, para PresTar reverência a fama de “BOTAFOGO”, que dia e noite, insiste em causar desgastes ao governo Bolsonaro, dizendo que Bolsonaro tem que começar a “governar para o bem do Brasil”. Cada vez que ouço esta expressão “para o bem de algo” imediatamente me coloco a pensar o que trará este bem que se quer fazer.

No caso do DEM este “bem”, na verdade é a velha e surrada moeda do fisiologismo cobrando cargos e emendas parlamentares. Nada mais que isso. Vejamos, quem foram os integrantes do DEM que foram os grandes responsáveis pelo COAF ter permanecido no Ministério da Economia, ocasionando a PRIMEIRA GRANDE TRAIÇÃO e a acachapante derrota do próprio governo quem dizem integrar e fazer parte:

  • Alexandre Leite
  • Arthur Oliveira Maia
  • Carlos Henrique Gaguim
  • David Soares
  • Elmar Nascimento
  • Fernando Coelho Filho
  • Geninho Zuliani
  • Juninho do Pneu
  • Olival Marques
  • Paulo Azi
  • Dorinha Seabra Rezende

Resumindo: De uma bancada com 27 Deputados Federais do DEM, 11 votaram contra e impediram o deslocamento do COAF para o Ministério da Justiça (para as mãos de Sérgio Moro), o que significa que 40,70% do partido, na Câmara dos Deputados, INVIABILIZOU TOTALMENTE a proposta do próprio governo que “dizem” ser leais e fazer parte. Outra questão PiToresca, aliás, e põe PiToresca nisso, é Bolsonaro ter escolhido para Ministro Chefe da Casa Civil, o Deputado Federal Onyx Lorenzoni, também integrante do DEM.

Francamente, este cidadão não se coaduna, passa ao largo, aliás, muito ao largo, de representar algum anseio dos cidadãos de bem que querem um governo identificado com a nova política, e não com as velhas PráTicas. Onyz Lorenzoni é confesso autor de caixa 2, prática abjeta que tanto disse ser contra e disse não fazer, mas que na verdade dela não se fez de rogado ao se beneficiar, quando Camardelli, o pagador da JBS, empresa dos BaTi$ta$ Brother$ (We$ley e Joe$ley) que comprava Deputados Federais para votações de projetos que tinham interesse, alcançou, por fora das declarações prestadas à Justiça Eleitoral, o valor de R$ 100.000,00 (cem mil reais).

Onyx Lorezoni se chafurdou comPletamenTe ao receber os recursos, mostrando-se incoerente entre o que sempre disse combater e o que realmente faz. Nesta votação do COAF, não podemos esquecer, também, do que aPronTaram o PP, dos “sedizentes” progressistas, que de progressistas mesmo, verdade seja dita, não tem absolutamente nada, uma vez que passaram a ser os SEGUNDOS GRANDES TRAIDORES do governo que “dizem” apoiar e integrar.

Vejamos os traidores do PP na votação do COAF:

  • Adriano do Baldy
  • Aguinaldo Ribeiro
  • Aj Albuquerque
  • André Abdon
  • André Fufuca
  • Arthur Lira
  • Átila Lins
  • Beto Rosado
  • Cacá Leão
  • Celina Leão
  • Christino Aureo
  • Dimas Fabiano
  • Dr. Luiz Antonio Teixeira Jr.
  • Eduardo da Fonte
  • Fausto Pinato
  • Fernando Monteiro
  • Guilherme Mussi
  • Iracema Portella
  • Laercio Oliveira
  • Margarete Coelho
  • Mário Negromonte Jr.
  • Neri Geller
  • Pedro Westphalen
  • Pinheirinho
  • Professor Alcides
  • Ricardo Barros
  • Ronaldo Carletto

Resumindo: mais da metade do PP e a esmagadora maioria traiu o governo Bolsonaro nesta votação. Ora veja, de uma bancada com 39 Deputados Federais, 27 votaram contra e impediram o deslocamento do COAF para o Ministério da Justiça (para as mãos de Sérgio Moro), o que significa que 69,20% do PP, na Câmara dos Deputados, INVIABILIZOU TOTALMENTE a proposta do próprio governo que “dizem” apoiar e fazer parte.

O imPacTante nesta votação do COAF, como podem ver claramente é que, “sedizentes” DEMocratas e “sedizentes” PROGRESSISTAS votaram, pasmem, juntamente, com toda a PaTota do PT, do PC do B, do PSB, do PDT, do PSOL, contribuindo para que o governo saísse desgastado e enfraquecido consigo mesmo.

Fato que pertence ao PaTético, ao bizarro e ao abjeto. Se apenas esta ala do DEM e do PP tivesse contribuído seja para a aprovação do deslocamento do COAF para o Ministério da Justiça e para as mãos de Sérgio Moro, como também, recentemente, se insurgido par impedir que fosse realizada uma VOTAÇÃO SECRETA do ProjeTo de abuso de autoridade, que impactará no fim do Brasil, uma coisa é certa, teriam sobrado, destaco, SOBRADO votos para o governo ter vencido estas votações paradigmáticas e os cidadãos de bem certamente agradeceriam.

Se se fosse observar o que, de fato e realmente significa a expressão LEALDADE, todos os cidadãos acima citados deveriam ser expulsos das suas respectivas legendas partidárias, por não preencherem o elementar e, em especial, porque deixaram, e muito, a desejar. E quando se está a falar de alguém que é expulso da legenda partidária que está abrigado, a questão da perda do mandato é mera consequência, uma vez que os mandatos não pertencem a quem é eleito, e sim aos partidos, sendo imperioso, nestes casos, que os partidos providenciem a convocação dos respectivos suplentes.

Pedro Lagomarcino

Advogado em Porto Alegre (RS)

Comentários