A extrema-imprensa que não conseguiu abalar Moro com as mensagens roubadas, tenta agora criar intrigas

Só rindo desses primatas. Ou chorando.

Primeiro tentaram e não conseguiram derrubar o Ministro Sérgio Moro e a Lava Jato com mensagens roubadas, receptadas e tornadas públicas pelo Verdevaldo, dublê de ativista/jornalista (que nunca recebeu um prêmio Pulitzer) e empresário de vídeos pornôs gays, que até para quem é do ramo são hardcore demais da conta. E que usava o marido ou mulher (nunca sei) como ator principal — Andy era o nome artístico do hoje deputado do PSOL.

Agora querem derrubar o Ministro Sérgio Moro (e a Lava Jato) com fofocas. Sim. Acham que vão conseguir fazê-lo renunciar criando intrigas entre o Ministro e o Presidente. E armando uma mentira inverossímil de que o Presidente, que tem um passado a zelar, teria feito um ‘acordão’ com o ex-advogado do PT, a quem falta um futuro a zelar.

Tudo para derrubar a Lava Jato. Para disfarçar, dizem que a suposta atitude torpe seria em nome da ‘salvação’ do filho do Presidente, que teve o sigilo bancário quebrado ilegalmente e ilegalmente vazado, que já estava sendo vasculhado há dois anos. Se tivessem encontrado algo comprometedor, não teriam obtido uma ordem judicial em abril deste ano para quebrar o sigilo de NOVENTA E QUATRO pessoas e NOVE empresas. Descobriram que oito dessas pessoas nem conheciam o então deputado e hoje senador. Não satisfeitos, em junho quebraram o sigilo de mais OITO pessoas.

Não me enganem que eu NÃO gosto.

Enquanto isso, assessores do atual presidente da ALERJ, o deputado do PT Andre Ceciliano , movimentaram cerca de 50 MILHÕES de reais e ninguém diz nada. Sem falar em mais 20 deputados.

E a campanha continua. O alvo agora é a Primeira-Dama e seus familiares. Nunca assisti a uma vilania igual praticada pela outrora imprensa respeitada, hoje folhetins a serviço do crime organizado.

Quem não se lembra que essa mesma imprensa que ataca o passado da avó de Michelle Bolsonaro — presto minha solidariedade às duas — sabia e escondia a rose e outras amantes do presidiário, que faziam questão de aparecer (para faturar) com o então presidente, que deixou uma marca indelével e vergonhosa na história desse país.

Por falar nisso, por onde anda a Rosemary Noronha, seus crimes e seus mais de dez advogados?

E só para não cair no esquecimento:

MOVIMENTAÇÃO SUSPEITA DE FUNCIONÁRIOS DA ASSEMBLEIA DO RJ EM 2016 (EM MILHÕES)

André Ceciliano (PT)

R$ 49,3

Paulo Ramos (PDT)

R$ 30,3

Márcio Pacheco (PSC)

R$ 25,3

Luiz Martins (PDT)

(preso) R$ 18,5

Dr. Deodalto (DEM)

R$ 16,3

Carlos Minc (PSB)

R$ 16,0

Coronel Jairo (SD)

(preso) R$ 10,2

Marcos Müller (PHS)

R$ 7,8

Luiz Paulo (PSDB)

R$ 7,1

Tio Carlos (SD)

R$ 4,3

Pedro Augusto (MDB)

R$ 4,1

Átila Nunes (MDB)

R$ 2,2

Iranildo Campos (SD)

R$ 2,2

Márcia Jeovani (DEM)

R$ 2,1

Jorge Picciani (MDB)

(preso) R$ 1,8

Eliomar Coelho (PSOL)

R$ 1,7

Flávio Bolsonaro (PSL)

R$ 1,3

Waldeck Carneiro (PT)

R$ 0,7

Benedito Alves (PRB)

R$ 0,5

Marcos Abrahão (Avante)

(preso) R$ 0,3

Lucia Sweet

Jornalista

Comentários