O "brilho" de Sérgio Moro

É simplesmente impossível imaginar que "Moro tem perdido o brilho desde que aceitou virar ministro de Bolsonaro", como afirmou, recentemente, o colunista Ancelmo Gois, em o Globo, referindo-se ao nosso ministro como “estrela cadente”.

Até porque quem tem "luz própria", como é o caso de Moro, não perde o brilho. Nunca!

Esse mesmo brilho, aliás, que "incomoda", e muito, os “invejosos” e “pobres de espírito”, que vivem imersos na "lama da escuridão dos seus pensamentos e atos escusos", onde não existe, consequentemente, a mínima condição de “vida às claras”.

O "brilho de Moro", portanto, “à luz da verdade” e em última análise, é uma “questão de puro merecimento".

Apenas isso concede, a esse homem de bem, “poder interior”, tornando-o imbatível.

Em resumo, o iluminado e brilhante Moro está mais para “sol em ascensão” do que para “mera estrela cadente”. Não importando o curso dos acontecimentos.

Isso quer dizer que nada nem ninguém, - por mais que recorra a “definições negativas”, “crimes cibernéticos”, “calúnias”, e tantos outros atos inconfessáveis, imperdoáveis, - pode impedir o brasileiro e destemido Sérgio Fernando Moro de brilhar!

Simples assim.

A propósito, e a quem possa interessar, “somos todos – e vamos continuar sendo – defensores de Moro!”

E, é claro, do seu “poderoso, incontestável e tão invejado brilho”!

L. Oliver

Redatora e escritora, com diversos prêmios literários, e autora de projetos de conscientização para o aumento da qualidade das sociedades brasileira e global. Participa do grupo Empresários Associados Brasil, que identifica empresas e profissionais em busca da excelência em produtos e serviços no país e no Exterior. Criou e administra o grupo “Você tem poder para mudar o Brasil e o mundo”, de incentivo à população no combate à corrupção. https://www.facebook.com/groups/1639067269500775/?ref=aymt_homepage_panel

Comentários