Ex-ministro de Lula e Dilma, agora com tornozeleira eletrônica e R$ 50 milhões em bens bloqueados

Nesta quarta-feira (21), foi deflagrada a 63ª fase da Operação Lava Jato. O juiz Luiz Antonio Bonat determinou que o ex-ministro dos governos petistas de Lula e Dilma, Guido Mantega, use tornozeleira eletrônica, devolva seu passaporte e está proibido de movimentar as contas que mantém no exterior. Além disso, o ex-ministro teve R$ 50 milhões em bens bloqueados.

A defesa de Mantega, realizada por Fábio Tofic Simantob, declarou que o uso de tornozeleira eletrônica em seu cliente é "absurda", e que a Lava Jato estaria voltando a fazer "estardalhaço":

“É a Lava Jato voltando a fazer estardalhaço, espetáculo público para colocar, talvez, uma cortina de fumaça nos abusos e nas arbitrariedades que estão sendo reveladas sobre a condução desse processo.” (...) “A medida de tornozeleira eletrônica é absurda. Cinco anos depois, ou mais, dez anos depois, quase, os fatos são de 2010! O que significa isso agora? Uma medida absurda contra alguém que está aí, não deu mostra de querer fugir, comparece aos atos dos processos. Quer dizer, é o constrangimento pelo constrangimento.”

O Ministério Público Federal, entretanto, defende que haveria a possibilidade de Mantega refugiar-se na Itália, onde possui nacionalidade, além de ter contas milionárias na Suíça.

Aliás, estardalhaço é o que Mantega e o PT fizeram com o dinheiro público.

da Redação

Comentários