Roubalheira petista fez Odebrecht prever o impeachment e Dilma saindo “algemada” do Planalto

O “autismo” de Dilma Rousseff a levaria ao impeachment. Esta foi a primeira previsão do empresário e delator Marcelo Odebrecht, ainda em 2014.

Mais tarde, Odebrech chegou a admitir que não haveria impeachment, pois Dilma sairia “algemada do Planalto”.

Independente se as previsões do empresário se realizaram, os e-mails demonstram o alto grau de promiscuidade em que se transformou o governo da devassa petista.

O site O Antagonista, em nota sobre o assunto relata o seguinte a respeito dessas mensagens do empresário:

“Era preciso, segundo ele (Marcelo Odebrecht), ‘fechar a caixa de Pandora’ – em referência às contas na Suíça. ‘Se abrir lá fora e o procedimento de manter preso até falar continuar, não tem como este assunto não sair/continuar e não chegar nela'.
Marcelo estava certo de que executivos da Camargo Corrêa, da OAS e da UTC fariam acordos de colaboração que seriam fatais para Dilma e Lula. E chegou a ironizar: ‘Se OAS e UTC falarem, melhor ELA e o antecessor buscarem asilo em Cuba'.
Na mesma mensagem, alertou seus executivos sobre a iminência de uma nova operação, que aconteceria em janeiro de 2015, para prender ‘umas 60 pessoas’ – demonstrando que tinha acesso a informações da investigação.
Segundo ele, o estrago seria grande para petistas e emedebistas. ‘Aí melhor Ela, o antecessor e todo o PT e PMDB buscarem asilo em Cuba’.
Noutra troca de emails, já no início de fevereiro, Marcelo Odebrecht usa tom mais ‘catastrófico’, ao afirmar que Ricardo Pessoa (UTC) e César Mata Pires (OAS) estavam ‘realmente dispostos a entregar todos eles (Lula, JW, Dilma…)’.
da Redação

O jornalismo em que você confia depende de você. Colabore com a independência do Jornal da Cidade Online doando qualquer valor. Acesse: apoia.se/jornaldacidadeonline

Comentários