Juízes impunes: a enorme incompetência dos juízes brasileiros

O caso de hoje, onde políticos criminosos acusados de corrupção - Garotinho e Rosinha - foram soltos pela quarta vez, é emblemático e mostra a enorme corrosão da justiça brasileira.

Engana-se, porém, quem acha que apenas criminosos poderosos são beneficiados por essa extrema incompetência dos juízes brasileiros.

Hoje, um caso policial revoltante que há mais de 3 semanas movimenta o noticiário da TV aberta vai se transformando numa verdadeira aberração judicial.

Luiz Bacci, do programa Cidade Alerta, denuncia, há quase um mês, um estranho caso de um psicopata que estuprava as duas filhas há seis anos.

Evanildo, o estuprador, foi acusado pela própria filha de 18 anos, que afirmou que sofria abusos do pai desde os doze anos.

E pior - o sujeito atualmente abusava ainda da filha menor, de 15 anos.

Existe inclusive a denúncia da menina na justiça, há três anos, contra o pai, por estupro. Nada foi feito na época a respeito.

De classe média, o homem era protegido pela própria esposa no caso, além de ser sustentado financeiramente por ela.

Nas redes sociais, o farto material postado pelo psicopata não deixa dúvidas: vídeos e postagens com as filhas deixam clara a situação: o sujeito tratava as filhas como namoradas.

Existem vídeos exibidos por ele onde é mostrada inclusive a auto mutilação da filha menor, evidentemente manipulada por ele e com problemas psicológicos.

Corta.

Cena dois: assim que a reportagem com a denúncia foi pro ar na Record, o psicopata fugiu levando a filha menor. Não se sabe claramente se a menina foi forçada ou foi livremente, manipulada pelo criminoso.

A esposa o ajudou com grana e cartão de crédito na fuga.

A polícia iniciou então uma enorme caçada pelo país para encontrar o criminoso.

Evanildo foi encontrado na Bahia, fugiu para Minas Gerais, e foi localizado novamente, graças à equipe de reportagem do programa de Bacci.

Aproveitando erros da polícia, o psicopata fugiu novamente, desta vez para Goiás, onde foi finalmente localizado e preso.

Corta.

Cena três: apesar da enorme quantidade de indícios que apontavam a periculosidade do gajo, dos pedidos da família, da delegada de São Paulo e de promotores, um juiz, Marcelo Alexander Carvalho Batista, mandou soltar o criminoso, que fugiu imediatamente.

Detalhe: o juiz inclusive liberou o homem sem fiança.

Corta.

Cena quatro: logo depois, por duas vezes, delegada e promotor solicitaram à justiça de São Paulo a prisão do elemento, junto com a família, Ministério Público e jornalistas do programa Cidade alerta, que forneceu todo o material da reportagem, obviamente contundente e revelador.

Inacreditavelmente, em São Paulo, outra juíza, Fernanda Pereira de Almeida Martins, um dia antes de sair de férias negou novamente o pedido de prisão do indivíduo, alegando que o homem não era perigoso e – pasmem - não havia indícios de que iria fugir.

O que era evidente aconteceu: Evanildo desapareceu no ato, ajudado pela distinta juíza, e provavelmente foi para o Paraguai.

A filha menor, confusa, foi resgatada e enviada ao conselho tutelar.

A juíza, agora desfrutando das merecidas férias, também vai desaparecer, ao que tudo indica.

Esse é apenas um dos registros surrealistas de casos que ocorrem todo santo dia no país e que atestam a enorme incompetência de juízes falhos e despreparados.

Garotinho, Rosinha, Evanildo… corruptos, políticos e psicopatas, não importa: a justiça age como se leis não fossem feitas para proteger o cidadão comum com imparcialidade, e sim para uma casta que as interpreta e aplica como quer, impunemente.

De acordo com seus desejos.

Que parecem ser incrivelmente o de proteção à criminosos.

Pergunta-se: quem julgará e avaliará o mal causado por esses juízes?

Marco Angeli Full

https://www.marcoangeli.com.br

Artista plástico, publicitário e diretor de criação.

O jornalismo em que você confia depende de você. Colabore com a independência do Jornal da Cidade Online doando qualquer valor. Acesse: apoia.se/jornaldacidadeonline

Comentários