Governador de SC abandona Blumenau e bandidagem toma conta da cidade (veja o vídeo)

Assalto à mão armada. Tiros de fuzil. Rajadas de metralhadoras. Reféns num ataque a banco a plena luz do dia.

Aonde? No Rio? Em São Paulo? Não, na pacata e ordeira Itoupava Central, em Blumenau/SC.

Esse atrevimento é fruto do descaso do governador Carlos Moisés da Silva para com a cidade e a região, percebido pela malandragem.

A vagabundagem sabe fazer conta e conhece a falta de efetivo policial. Sabem que estamos desassistidos.

O episódio desta sexta-feira (6) foi a metros (sim, metros, de unidade da PM). Num lugar movimentado, com escolas, comércio, indústria.

Pânico generalizado!

Lembram do assalto no aeroporto Quero-Quero, com a morte de uma jovem? Foi nesse governo! Cadê as providências?

E o governador não vem aqui e vai no CIC cantar e tocar violão?

Vagabundagem aqui é pinto no lixo.

Essa conta é sua, governador!

E hoje, cara de pau, com medo da prensa e do enorme desgaste que está sofrendo por ser omisso, ausente e negligente conosco, correu assustado para anunciar de forma improvisada, sem consistência, a vinda - no futuro que não se sabe qual é - de 60 policiais militares, “quando se formarem, para suprir a histórica defasagem de efetivo ”. 60 é ilusório e irrisório!

Só a vice-governadora tem 14 policiais militares ao seu dispor para sua segurança pessoal!

Blumenau é a terceira cidade em arrecadação do Estado de Santa Catarina. E, em proporção, é a que tem o menor efetivo policial. Os poucos que estão aqui, fazem milagres.

E o governador conhece essa realidade.

Precisou ocorrer um fato gravíssimo com repercussão nacional, para que ele - com ar de tanso - viesse às redes sociais fazer promessas. A cidade está ao abandono do governo do Estado.

E fica quase todo mundo quieto? O que é isso senão uma tragédia já consumada, onde a população em pânico, tem medo de sair na rua?

Temos que dar um calor nesse comandante! E já! O dinheiro que ele destinou aos Hospitais (a única movimentação que fez em 9 meses de governo) é troco.

Que grande feito é esse? Acha que aqui somos trouxas?

Não nos esqueçamos que temos a maior e mais qualificada saúde pública de alta complexidade do Estado e uma das mais gabaritadas do Brasil e do mundo (se fôssemos um país seríamos o 14º em transplantes do mundo).

Não temos Hospital Regional. O que veio de verba para cá é insignificante perto do que consomem as estruturas de saúde custeadas pelo erário do Estado.

Queremos mais! Muito mais!

Corta as mordomias, governador! As tuas e as da tua vice!

Quem paga impostos, quer retorno. Se o retorno não vem, seguiremos sendo assaltados. Numa boa.

Como cordeirinhos sob a bota do comandante deslumbrado e sob a mira do fuzil e da metralhadora da bandidagem!

Daqui a pouco, vai ser comigo, contigo ou conosco! Não vai demorar!

Até quando?

Luiz Carlos Nemetz

Advogado.Vice-presidente e Chefe da Unidade de Representação em Santa Catarina na empresa Câmara Brasil-Rússia de Comércio, Indústria e Turismo e Sócio na empresa Nemetz & Kuhnen Advocacia.
@LCNemetz

Comentários