Absurdo: Esquerda quer cota de emprego para condenados em detrimento ao trabalhador desempregado (Veja o Vídeo)

Nesta quarta-feira (11), o deputado federal pelo NOVO-RS, Marcel van Hattem, participou da reunião da Comissão de Trabalho, de Administração e de Serviço Público da Câmara dos Deputados. A pauta em debate foi a criação de cotas de emprego exclusivas para presidiários e ex-presidiários. O projeto foi apresentado pelo deputado Darci Pompeo de Mattos, do PDT.

Sem dúvida, um verdadeiro desrespeito com o povo trabalhador que está desempregado, uma vez que estes perderiam vagas de empregos, que estariam reservadas a criminosos, pelo sistema de cotas.

Segundo o deputado, o projeto é negativo pois cria cotas de emprego nas licitações públicas:

"Esse projeto ignora as vítimas dos crimes que não possuem cotas de emprego e nunca são lembradas! Ignora-se, também, que hoje temos milhões de desempregados que nunca cometeram crimes." - afirmou van Hattem.

Leia a publicação completa do deputado, disponibilizada em suas redes sociais:

"COTAS DE EMPREGO PARA CONDENADOS? NÃO!

Hoje participei como líder do NOVO da reunião da Comissão de Trabalho, de Administração e de Serviço Público da Câmara dos Deputados. Na pauta estava o projeto que “institui o Fundo Nacional de Segurança Pública, para permitir aos municípios acesso aos recursos do FNSP, quando fizerem incluir, em suas licitações, dispositivo de reserva de vagas para apenados em regime aberto, semiaberto e egressos do sistema prisional”.

Em outras palavras: trata-se da criação de cotas de emprego exclusivas para presidiários e ex-presidiários. Sempre fui favorável que presos trabalhem enquanto cumprem suas penas, mas criar esse tipo de cota de emprego nas licitações públicas é algo muito errado. Esse projeto ignora as vítimas dos crimes que não possuem cotas de emprego e nunca são lembradas! Ignora-se, também, que hoje temos milhões de desempregados que nunca cometeram crimes. A reunião da Comissão acabou encerrada sem que o projeto fosse votado e seguiremos atentos para que não seja aprovado!"

Veja o vídeo:

da Redação

Comentários