A trama hedionda da esquerda, quando utiliza os gays como “massa de manobra”

Eu nem sei por onde começar esse texto. Esse assunto me incomoda, profundamente, por evidenciar a nossa FRAQUEZA na guerra ideológica. Mas, até hoje, não consegui colocá-lo “no papel”.

O caso da Heloisa Bolsonaro, porém, tendo a sua vida profissional devassada, invadida, exposta, me fez perceber a imensidão das consequências e, por isso, vou tentar explicar, da forma mais clara possível, essa trama hedionda.

A esquerda NUNCA se preocupou com os gays. Pelo contrário. Sempre os tratou como aberrações. Em Cuba eram fuzilados; na URSS acabavam nas Gulags. Na "sociedade perfeita" nunca houve espaço para a "imperfeição" homossexual.

Chega a ser bizarro, hoje, uma ideologia que defende a PLANIFICAÇÃO SOCIAL, dizer-se defensora da PLURALIDADE.

Mas existe um motivo ESTRATÉGICO para isso.

Na década de 50, os "filósofos" Marxistas já tinham percebido que o capitalismo tinha dado certo e, com a revolução industrial, os proletários passavam muito bem.

Havia, ainda, a diferença de classes, lógico. Mas o trabalhador passou a ter facilidades, bens e serviços que eram impensáveis até para a nobreza de 1 século atrás.

Ou seja, aquele grupo não seria MASSA DE MANOBRA para a revolução.

Entre estes filósofos estava HEBERT MARCUSE, que desenvolveu a teoria do LUMPEMPROLETARIADO.

Para o sociólogo alemão, OS MARGINALIZADOS deveriam ser utilizados como massa de manobra. Incluindo, entre eles, os gays.

A teoria, apesar de complexa, tem uma execução diabolicamente simples.

Deve-se REFORÇAR o sentimento de "exclusão", nas classes marginalizadas, e provocar um sentimento REVANCHISTA, contra a sociedade que os excluiu.

Auxiliada pela TEORIA CRÍTICA, de HORKHEIMER, outro filósofo da Escola de Frankfurt, que negava a ciência como base do conhecimento e defendia que a construção social deveria acontecer através da DIALÉTICA, a implementação das idéias de Marcuse passou a ser totalmente possível.

Com o sucesso da TOMADA DE ESPAÇOS, pensada por GRAMSCI, mais um filósofo da mesma Escola, e o controle dos meios de comunicação e do sistema educacional, todo o projeto de poder pôde ser colocado em prática.

Vejam, então, a eficiência do raciocínio:

1 - Se infiltram nos estabelecimentos de ensino e nas empresas de mídia (como mandou Gramsci).
2 - Utilizam da liberdade de expressão para questionar a ciência e distorcer fatos, visando a polarização da sociedade (como mandou Horkheimer).
3 - Culpam a sociedade pela marginalização de determinados indivíduos (causada pela polarização que ELES CRIARAM) e, então, instigam esses indivíduos contra a sociedade (como mandou Marcuse).

Desta forma, cria-se o CAOS. Fragmenta-se a sociedade e inicia-se uma GUERRA IDEOLÓGICA, que enfraquece o sistema que o Marxismo visa subverter.

Uma revolução silenciosa, travada em todos os cantos, sem disparar um único tiro.

A “reportagem” da Época, gravando ilegalmente as sessões de atendimento da nora do Presidente, mostra o quanto todo esse projeto PROGREDIU.

O Homossexualismo, presente na humanidade desde os primórdios da civilização, tornou-se TABU, indiscutível até em sessões de terapia.

Criou-se uma sociedade TÃO polarizada e pudica que, em um país que viu transexuais estamparem capas de revistas masculinas, hoje discute-se uma "lei anti-homofobia".

E essa mudança social não aconteceu em um regime ditatorial. Nossa sociedade mudou, paulatinamente, EM PLENO REGIME DEMOCRÁTICO, SOB ADMINISTRAÇÃO PROGRESSISTA.

Durante a “batuta” da esquerda, o Conselho Federal de Psicologia PROIBIU o tratamento da transexualidade como doença, mesmo sendo considerada um DISTÚRBIO DISSOCIATIVO DE IDENTIDADE, por estudos sérios, como o do Johns Hopkins Hospital (Teoria Crítica. Lembram?).

Preferiram dar ouvidos à IDEOLOGIA DE GÊNERO, admitida pela própria criadora, Judith Butler, como um MOVIMENTO POLÍTICO E SEM COMPROVAÇÃO CIENTÍFICA, em seu livro “Problemas de Gênero”.

É CRIMINOSO!

Estão NEGANDO TRATAMENTO para pessoas NECESSITADAS, com a única intenção de manipulá-las.

Não estou falando, aqui, de “curar” gays ou transexuais. Estou falando em AJUDÁ-LOS, para que se enxerguem e aceitem COMO SÃO.

Com a PROIBIÇÃO do tratamento, criam indivíduos FRUSTRADOS que, incentivados pelos próprios criadores da proibição, CULPAM A SOCIEDADE POR SUAS FRUSTRAÇÕES.

Para se ter ideia da gravidade da situação, o índice de suicídios entre os transexuais é de 40%. QUARENTA POR CENTO!

Estamos falando, aqui, de uma EPIDEMIA, que está ceifando vidas humanas e que tem o TRATAMENTO PROIBIDO, para que estas pessoas possam ser usadas como MASSA DE MANOBRA na implantação de uma ideologia NEFASTA E GENOCIDA.

Todas as minhas críticas à ideologia de gênero e aos “tratamentos diferenciados” para os homossexuais, não têm NADA a ver com PRECONCEITO, ÓDIO ou HOMOFOBIA. Pelo contrário.

É apenas DESESPERO de assistir, conscientemente, vidas sendo destruídas ou ceifadas, em nome desta REENGENHARIA SOCIAL, à qual estamos sendo submetidos.

“A maneira mais pérfida de prejudicar uma causa é defendê-la intencionalmente com más razões." (NIETZSCHE, Friedrich)

Felipe Fiamenghi

O Brasil não é para amadores.

Comentários