Pedido de desculpas da Rede Globo tenta ludibriar quem ainda acredita na grande mídia

A pressão e a indignação popular quebraram a imprensa neste caso, não tenha dúvidas. Acreditaram que sua matéria expondo a intimidade de Heloísa Bolsonaro, atingiria o objetivo de ajudar no esforço incessante para desmoralizar o presidente. Inimigo declarado da mídia.

Acreditavam que o tom cínico e a narrativa condescendente enganariam a população o suficiente para passar por um texto imparcial. Não desta vez. O povo percebeu o golpe, se indignou e cobrou a revista. Diante da reação, o Grupo Globo (dono da revista Época) teve que se desculpar.

Mas não se enganem. A "desculpa" é ainda mais cínica que a matéria em si. A começar pelo título: "Uma explicação necessária". Ora, se é uma explicação, não é um pedido de desculpas. É uma justificativa.

E continua: "“Como toda atividade humana, o jornalismo não é imune a erros. Os controles existem, são eficientes na maior parte das vezes, mas há casos em que uma sucessão de eventos na cadeia que vai da pauta à publicação de uma reportagem produz um equívoco."

Sério? Vocês do Grupo Globo tem errado bastante, hein? Só na última semana:

1. Chamaram uma criança de 9 anos de "moleque imbecil".
2. O apresentador da Globo News, Mario Conti divulgou texto de autor que diz que a facada deveria ter matado Bolsonaro pelo bem do planeta.
3. Expõe a intimidade de uma mulher que não tem qualquer ligação oficial com o governo.

Não chamem o povo de idiota fingindo isenção. Quantos outros erros isolados vocês irão cometer até o fim do mandato? Assumam logo que estão contra o presidente. Assumam que por isso quase não se vê as ações positivas do governo em suas revistas ou telejornais. O problema não é vocês terem lado, o problema é fingirem que não tem.

Aliás, a matéria vergonhosa pela qual vocês pedem desculpas, CONTINUA NO AR. Sinal que seu pedido de desculpa é tão verdadeiro quanto a sua imparcialidade.

Talvez a única coisa mais abjeta do que esse teatrinho armado pelo Grupo Globo, seja o silêncio criminoso das manadas Feministas e do Conselho Federal de Psicologia, que até o momento não se pronunciaram para defender a mulher que teve sua intimidade exposta pela grande mídia.

Parece até que só se preocupam com quem se curva aos ideais de esquerda.

Frederico Rodrigues

Analista Político e Membro da Direita Goiás.

Comentários