A farsante retórica da esquerda ante a sua notória incompetência na produção de Wagner Moura

CENSURA:

1- Análise, feita por censor, de trabalhos artísticos, informativos, etc. com base em critérios morais ou políticos, para julgar a conveniência de sua liberação à exibição pública, publicação ou divulgação.

2- restrição à publicação, exibição etc. feita com base nessa análise.

Em nenhum momento Marighella foi CENSURADO.

A estréia não foi cancelada, também, por "CERCEAMENTO" do governo. A não ser que RESPEITO AO DINHEIRO PÚBLICO tenha mudado de nome.

Vamos aos fatos:

Em nota, a própria produtora afirmou que: "A O2 Filmes NÃO CONSEGUIU CUMPRIR A TEMPO todos os trâmites exigidos pela Ancine".

Ainda assim, solicitaram um REEMBOLSO ADIANTADO, NO VALOR DE 1 MILHÃO DE REAIS, à agência Estatal.

Solicitaram, também, excepcionalidade nos prazos para parceria com o FSA, o Fundo Setorial Audiovisual.

Ambos os pedidos foram negados.

Ou seja, a "CENSURA", da qual os "artistas" estão reclamando, nada mais é do que o CUMPRIMENTO DAS NORMAS, estipuladas pelo próprio PT, inclusive, no caso do FSA.

A produtora PERDEU O PRAZO, queria que o governo lhe adiantasse 1 MILHÃO DE REAIS (MAIS VERBA DE COMERCIALIZAÇÃO) e ainda abrisse exceção em um outro prazo de contrato, para que pudesse estrear no DIA DA CONSCIÊNCIA NEGRA e "lacrar" reescrevendo a história de um TERRORISTA BRANCO.

Com a negativa do governo, ÓBVIA E JUSTIFICADA, os atores preferiram criar a narrativa de uma CENSURA, do que assumir a irresponsabilidade da produtora.

Como não conseguiram a "lacradona" da estreia, tentam uma "lacradinha" com a vitimização.

Produziram uma obra MENTIROSA, com o objetivo de EXALTAR UM CRIMINOSO, para ser aplaudida -pelos progressistas- nos festivais, mas sem NENHUM APELO COMERCIAL.

Uma obra CONTRA O SISTEMA, feita por INIMIGOS DO SISTEMA, que NÃO PENSA NO SISTEMA, mas DEPENDE DO SISTEMA para ser lançada.

O filme, por si só, é a representação perfeita do ideário esquerdista: Pessoas sem capacidade de ganhar o próprio dinheiro ou de fazer algo útil para a sociedade, exigindo dinheiro dos outros para que suas inutilidades sejam recompensadas.

“O socialismo, em geral, tem um histórico de fracasso tão grande que só um intelectual poderia ignorar ou fugir disso.” (SOWELL, Thomas)

Felipe Fiamenghi

O Brasil não é para amadores.

Comentários