Um aviso para o conselheiro da Amazônia: "Cuida da tua casa, Macron"

Macron, tão diligente em prol da salvação do ‘pulmão do mundo’, se meteu a fazer críticas ao governo Bolsonaro, numa campanha junto aos participantes da União Europeia.

Sem ser chamado, diga-se en passant.

O gesto ‘gentil’ de Macron pode ser retribuído à altura pelos brasileiros lembrando ao dirigente socialista que deve primeiro cuidar de sua própria casa - que não vai nada bem - antes de sair pelo mundo criticando outros presidentes sem conhecimento algum de causa.

Macron parece não saber nada da Amazônia.

E pior, parece não conhecer o próprio país que supostamente governa, a França.

Desde 2018, os gilet jaunes (coletes amarelos) saem às ruas protestando sistematicamente contra seu governo.

Insatisfeitos inicialmente com o preço dos combustíveis -graças a uma política corretinha de Macron contra produtos fósseis, coisa ecologicamente bonitinha mas ineficaz - as manifestações foram crescendo e hoje, pela 47ª vez, já representam uma insatisfação generalizada do povaréu francês contra o custo de vida.

E pela destituição de Macron do governo.

O gajo tem um alto índice de reprovação, 68% dos franceses querem que pule fora.

Mas Macron consegue aí uma façanha maior: é detestado tanto pela direita quanto por seus próprios coleguinhas de esquerda.

A princípio um movimento apartidário, os coletes amarelos hoje unem na mesma panela de reprovação ao presidente tipos como a líder de extrema direita Marine Le Pen e o chefe da coligação de esquerda França Insubmissa, Jean-Luc Mélenchon.

Uma façanha que poucos conseguiram no mundo.

Uma interpretação óbvia é que tem que ser mesmo muito ruim pra conseguir isso.

Qualquer semelhança com os últimos meses de governo do poste sem luz de luladasilva, dilma roussef, enfrentando no Brasil a sociedade insatisfeita nas ruas desde 2013 não é mera coincidência.

Mais do que isso, é a consequência clara do que o mundo inteiro já conhece muito bem: a incompetência dos socialistas - loucos por poder - em governar e gerenciar suas próprias casas.

Mas são muito bons em meter a boca nos governos alheios.

São excelentes em detectar o erro dos outros mas não conseguem evitar o erro em seus próprios governos.

Basta lembrar, no caso da Amazônia, que das áreas florestais da Europa restam pouco mais de 1%.

O resto foi dizimado.

Finalmente, neste sábado (21), Macron apelou e colocou nas ruas 7,5 mil homens das forças de segurança para reprimir na marra os coletes amarelos.

A polícia mandou alegremente gás lacrimogêneo pra cima dos gilet jaunes, em Paris, e fez 90 prisões.

Cumpre fielmente o rito das ‘democracias socialistas’: se não funciona na conversa mole funciona debaixo de pau mesmo. Vide maduro. Ou castro. Ou…

Macron tem outro tique nervoso característico dos socialistas de plantão, o de meter o bedelho onde não são chamados.

Então fica o conselho:

Cuida primeiro da tua casa, Macron.

Marco Angeli Full

https://www.marcoangeli.com.br

Artista plástico, publicitário e diretor de criação.

Comentários