Maia usa Ághata para atacar “Lei Anticrime” e toma reprimenda de presidente da CCJ: “Leiam o projeto e deixem de má fé”

É extremamente triste, lamentável e inadmissível a morte de uma garota de apenas 8 anos de idade. Sem dúvida, algo totalmente inaceitável para a família e um verdadeiro tormento para a sociedade.

Não há nada o que dizer sobre isso. A não ser chorar.

Porém, pior é ver pessoas, celebridade e políticos, fazendo uso do fatídico acontecimento por outros interesses, politicagem e maucaratismo.

O apresentador e celebridade da Rede Globo Luciano Huck, que sonha em ser presidente da República – não é piada, ele realmente tem essa aspiração – usou o caso para tentar ganhar politicamente.

O ministro Gilmar Mendes aproveitou a oportunidade para jogar o seu veneno contra o governador Wilson Witzel.

E o presidente da Câmara Federal Rodrigo Maia – outro que sonha em ser presidente da República, mas nesse caso, só poder ser piada – preferiu atacar o projeto de lei anticrime do ministro Sérgio Moro, na questão da excludente de ilicitude.

Pura desonestidade. O projeto não ampara casos como o da pequena Ághata.

Não demorou para que o deputado Felipe Francischini, presidente da Comissão de Constituição e Justiça da Câmara dos Deputados, desse a merecida reprimenda no medíocre Botafogo.

da Redação

O jornalismo em que você confia depende de você. Colabore com a independência do Jornal da Cidade Online doando qualquer valor. Acesse: apoia.se/jornaldacidadeonline

Comentários