A classe artística maconheira que, no fundo, deseja legalizar todas as drogas

Não há escapatória, o usuário financia o tráfico. Por mais que tente-se usar de truques de retórica, no fim das contas, a conclusão é inescapável.

A polícia não precisaria entrar em confronto com traficantes se estes não dominassem determinadas áreas. E os recursos que permitem que traficantes se armem e dominem áreas, vem majoritariamente da venda de drogas. Onde está a dificuldade da mídia em reconhecer isso?

Ora, a mídia hoje nada mais é do que o cão de briga da esquerda, coordenando ataques contra os adversários dos métodos socialistas para tentar passar a imagem de que tudo que não seja uma política de esquerda, não presta.

Quem se importa se os assassinatos no Rio diminuíram com a nova política de enfrentamento? Enquanto houverem vítimas cujos corpos possam ser utilizados de palanque pela esquerda, resultados positivos serão desconsiderados. Nada deixa um esquerdista mais contente do que a morte de um inocente em situação de confronto.

Voltando a relação usuário-crimes, por que não legalizar a maconha então e acabar com o tráfico? Ora, porque isso não acabaria com o tráfico, os traficantes simplesmente iriam para outras drogas. É aí que está o truque sujo dos artistas, da mídia e do sistema esquerdista em geral. Eles querem legalizar TODAS as drogas, sem exceção. Só que são covardes e preferem ir revelando esse plano aos poucos. Precisam ir amaciando a opinião pública.

Eles sabem que seu consumo recreativo de drogas mata inocentes. Mas não estão nem aí. Afinal a mídia irá ajudá-los a inverter a situação e culpar o Estado. Veja bem, se realmente fossem fiéis ao que pregam, eles abandonariam o uso de drogas para poupar mais vítimas, enquanto lutam pela legalização dentro da lei. Isso não acontece, preferem continuar satisfazendo seus vícios e quando uma criança de 9 anos é morta, fingem que não foi com eles.

Quão doente um individuo precisa ser para continuar fortalecendo o tráfico e financiando a matança enquanto justifica para si mesmo que se o Estado não proibisse, isso não aconteceria?

Frederico Rodrigues

Analista Político e Membro da Direita Goiás.

Comentários