Patético, Zanin quer levar aos “direitos humanos” da ONU declaração de Bolsonaro contra Lula

Para o deprimente advogado Cristiano Zanin a declaração do presidente Jair Bolsonaro relacionada ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, nesta terça-feira (24) perante a Assembleia Geral da ONU, é descabida e viola os direitos do meliante petista.

Diante disso, o defensor de Lula pretende levar o caso para avaliação do Comitê de Direitos Humanos da entidade.

Tudo não passa de mais uma enfadonha e medíocre lamentação de um reles malfeitor.

Bolsonaro disse exatamente o seguinte:

“Há pouco, presidentes socialistas que me antecederam desviaram centenas de bilhões de dólares comprando parte da mídia e do parlamento, tudo por um projeto de poder absoluto. Foram julgados e punidos graças ao patriotismo, perseverança e coragem de um juiz que é símbolo no meu país, o Dr. Sergio Moro, nosso atual Ministro da Justiça e Segurança Pública”.

Ou seja, Bolsonaro disse tão somente a mais pura e cristalina verdade, que o povo brasileiro reconhece plenamente e a Justiça já referendou em diversas instâncias.

Absurdo sim, é um criminoso, condenado e preso, de dentro de sua cela, dar entrevistas ofendendo autoridades, o Ministério Público, o então juiz que o condenou e, até mesmo, o atual presidente da República.

Essa inversão de valores que impera no Brasil é que precisa efetivamente cessar.

Um ladrão não pode ofender a autoridade máxima da nação.

É este o ponto.

Ademais, é efetivamente patético o advogado dizer que vai levar para o Comitê de Direitos Humanos da ONU o que o presidente da República falou na própria ONU, para todo o mundo.

da Redação

Comentários