Por que a morte de Rhuan não “interessou” a mídia e a de Ágatha sim?

A forma leviana e intencionalmente covarde como a mídia tratou a morte de duas crianças revela bem o viés ideológico que domina a mídia nacional – uma, omitindo. A outra, tornando mártir…

A morte do menino Rhuan no dia 31 de maio em Samambaia, no Distrito Federal, foi um dos crimes mais bárbaros cometidos nos últimos anos. Bárbaro e hediondo. Uma morte causada pela “ideologia de gênero”. Na verdade, ele veio sendo morto covardemente pelo casal de lésbicas ao longo de muitos meses os requintes de crueldade revoltam a qualquer um: teve o pênis decepado porque a mãe, Rosana Auri da Silva Cândido, 27 anos, e sua companheira Kacyla Pryscila Santiago, 28, queriam fazer uma vagina no lugar do membro masculino. Mas não foi só isso: segundo laudo divulgado pela Polícia Civil do DF, foi decapitado vivo e tomou mais 12 facadas nas costas.

De modo solerte e covarde, a mídia dominada pelo viés obscurantista de esquerda, por afinidades sexuais e ideológicas com o casal de monstras, calou. Não fez estardalhaço. Foi cúmplice, covarde e canalha.

Além de ser SIM um crime praticado sob a estapafúrdia “ideologia de gênero”, as lésbicas eram militantes de partidos de esquerda e por isso foram protegidas pela mídia. Cheguei a cobrar de alguns conhecidos esquerdistas que têm jornais comunitários e grupais, porque razão eles não faziam e nem fizeram matérias, de modo estúpido ficaram calados.

Além do ativismo sexual e político das assassinas ser convergente com a mídia, o menino Rhuan era branco – o que acaba sendo um fato nem sempre levado em conta por quem tem alguns códigos básicos no exercício do seu gatekeeper: os jornalistas que se dizem de esquerda são comprometidos com o ideário fascista e são adoradores e seguidores de Goebbels, na medida em que omitem mil vezes a verdade, para que a verdade não exista.

E veio a fatalidade com a menina Ágatha – e nem é preciso dizer o carnaval que os abutres estão fazendo. É realmente enojante observar o estágio de decadência e venalidade desse povo.

Não estou aqui julgando a ação do Estado – até porque será preciso esperar o resultado da perícia para saber de quem partiu a bala. Mas não assumo o papel leviano e no mínimo canalha da imprensa que já sentenciou que a pala partiu de uma arma da polícia.

Claro que conta em favor de Ágatha ela ser negra e morar no Rio de Janeiro onde o governador, entre acertos e erros, tem assumido a luta contra o crime, contra o tráfico – e o tráfico é algo muito importante para os jornalistas…

Mas a imprensa brasileira nãos e satisfaz em ser venal. Ela tem que tratar de se superar nessa arte da hipocrisia para dissimular seus desvios éticos, suas neuroses comportamentais e seu apego ao submundo e ao endeusamento do criminoso, do crime, do bandido e dos seus subprodutos – criminalizando o estado, o aparato policial e judicial.

Em sua cruzada, a imprensa e os ditos profissionais não tem nem respeito pela vítima e nem pela sociedade, uma vez que transformam em espetáculo vergonhoso um momento de dor e que deveria servir de reflexão sobre como chegamos a esse ponto e o que fazer para sair desse estágio de uma sociedade dominada pelo crime e refém de uma mídia que adora criminosos.

Será que esse povo não aprendeu nada com o Crime dos Irmãos Naves, em Araguari-MG, ou então o episódio da Escola Base, em SP, ambos sentenciados e julgados a partir de “testemunhos”?

Custa a imprensa ater-se apenas ao papel de informar, deixando que o julgamento fique com o Judiciário? É preciso manter a estratégia de linchar a instituição “polícia” apenas para satisfazer a estratégia de incentivar a impunidade dos bandidos?

Dois crimes. Duas mortes.

E volto a perguntar: por que tratamentos assim tão distintos?

(Texto de Alfredo Bessow)

Publicado originalmente no site do Jornalista Alfredo Bessow http://blogdoalfredo.com/2019/09/23/por-que-a-morte-de-rhuan-nao-interessou-a-midia-e-a-de-agatha-sim/

Sigam o excelente canal do Jornalista Alfredo Bessow no Youtube https://www.youtube.com/channel/UC_609pA3c3_RzrOlLCe4wCw

Comentários