Lula preso é o “capim motivacional” que a militância necessita

Vejo muita gente em dúvida. Se perguntando por que Lula, (que está há mais de um ano pedindo para ser solto), não quer se beneficiar do regime semiaberto, que permite que ele saia da prisão.

E como nesta semana, Antonio Palocci, que chegou a ser o terceiro homem mais forte do PT, (atrás apenas de Lula e José Dirceu) teve suas delações divulgadas pela revista Crusoé, resolvi postar uma explicação resumida sobre o assunto.

Bem, além de que para se beneficiar deste regime ele precisa cumprir uma série de obrigações (trabalho social por exemplo) que ele não acha digno de sua pessoa, há também um ponto mais profundo.

Precisamos entender que, a prisão onde Lula cumpre sua pena é um lugar privilegiado. Nenhum outro brasileiro condenado teve o tratamento vip que ele teve. Lula portanto, não se importa de ficar preso. O maior medo dele é de que, a narrativa de que ele é um perseguido político, uma vítima de injustiça, caia por terra. Lula só tem medo de deixar de ser relevante, deixar de ser poderoso.

Por isso ele prefere continuar preso do que sair e ir para sua casa, no conforto de seu lar, onde seria extremamente difícil continuar fingindo e sustentando a narrativa de que é um injustiçado.

E Lula sabe que conhecemos todos os seus truques, ele sabe que não nos engana mais. Esse teatro todo serve apenas de capim motivacional para sua própria militância. Para que ela não o abandone. Principalmente agora que seu amigo pessoal, Antonio Palocci, jogou uma pá de cal nas aspirações de Lula de voltar a se gabar de ser a "viva alma mais honesta deste país"

Frederico Rodrigues

Analista Político e Membro da Direita Goiás.

Comentários