Guerra política e a direita cavalo de Tróia

Na hora que a direita mais precisa se organizar, alguns atuam para dividir e lançar desconfiança sobre o presidente.

Este vídeo um pouco mais longo do que o de costume, mas necessário para quem quer evitar armadilhas.

A guerra política é complexa. O campo de batalha é um país gigante que precisa ser gerido, mas o presidente não tem soldados em número suficiente.

A direita não tem quadros, não tem partido, não tem militância organizada, e também não domina o complicado processo legislativo através do qual o poder é efetivamente exercido.

Em 2016, professor Olavo de Carvalho lembrou que a conquista da presidência era a cereja do bolo, mas que conquistar a cereja não traria o bolo junto.

Pois bem, chegou a hora de preparar o bolo, mas parte da direita - em nome de uma crítica supostamente construtiva - prefere dividir em vez de organizar.

Confira a análise.

Herbert Passos Neto

Jornalista. Analista e ativista político.

Comentários