Um desabafo sobre Gilmar Mendes: “A gente se sente diminuído, descrente, impotente, menor”

Raiva, pode. Ódio, é proibido.

Mostrar que se odeia algo sem contemplação, mas odeia mesmo, isso é falta de generosidade, educação politicamente incorreto e pode dar processo.

Pois eu sinto ódios vários, todos os dias.

E sabe o que eu mais odeio?

É que meu ódio não traz nenhum resultado aparente para quem eu odeio.

Pegue os políticos, por exemplo.

Ou um cara do STF, alguém que leva você no bico e que continua a se divertir vendo você nadar em círculos dentro da descarga da privada, sem poder sair lá de dentro.

Um juiz do Supremo, digamos, rindo de você, enquanto decide sentenças no Tribunal favorecendo bandidos, segundo seus interesses pessoais.

De todos os ódios esse é o que mais me mata.

A gente se sente diminuído, descrente, impotente, menor.

E sem poder reagir frente a esses seres superiores, que podem ir e vir dentro de nossa cabeça, defecando por todos cantos de nosso cérebro.

Quem representa a figura exponencial desse tipo de pessoa que nos tira do sério?

O Gilmar Mendes?

Ele é feio, faz o que quer na cara dura e pode comer 1 kg de naftalina sem nem sequer arrotar o veneno depois.

Ele caga-e-anda para o que você acha dele, essa barata intocável, defendida do horror que temos por ele ser daquele jeito.

Será que esse personagem, sabendo-se inexpugnável e tratado como um imperador de ralo, sente-se satisfeito consigo mesmo?

Sem vergonhas?

Este desabafo, sei que é inútil, não representa nada contra o poder indiscutido do Supremo - recheado por aqueles tipo odiosos que levam os brasileiros conscientes a um ódio já cansado, conformado, exaurido, num quadro repetitivo e sem esperanças.

Mas sempre é importante saber que o STF marcou para esta quinta (17) o julgamento das ADCs 43, 44 e 54, que podem derrubar o atual entendimento sobre a prisão em 2ª instância e soltar uns 169.000 bandidos condenados. Fiquemos atentos.

- Ainda: falta saber se o vazamento de petróleo (que chegou a Salvador e já atingiu quase dois terços do litoral brasileiro, nunca houve um desastre ecológico tão grave por aqui) veio de um navio venezuelano.

De quem é tanta droga apreendida pela Polícia Federal?

E a reforma da Previdência,Tributária e o pacote Anticrime do Moro, vão sair em que ano?

Vou tomar uma decisão, neste instante.

Vou me levantar da cadeira e ir até a geladeira e tomar um copo de água.

Depois, suspirar e quem sabe tentar o “suicídio”.

(Texto de Enio Mainardi)

Publicado originalmente no site RE-UNIÃO

O jornalismo em que você confia depende de você. Colabore com a independência do Jornal da Cidade Online doando qualquer valor. Acesse: apoia.se/jornaldacidadeonline

Comentários