A história se repete: Decisão do STF pode beneficiar Dirceu, Delúbio e outros criminosos

Em agosto de 1979, pressionado por uma forte mobilização social, o presidente militar João Figueiredo promulgou a Lei da anistia, pedida pelo Comitê Brasileiro Pela Anistia, apoiado por estudantes, jornalistas e políticos da chamada ‘oposição’.

A ideia era conceder perdão àqueles que haviam cometido crimes políticos, crimes eleitorais, a quem tivesse tido seus direitos políticos suspensos.

Em suma: era a anistia geral, ampla e irrestrita pedida por esse movimentos de esquerda que beneficiou presos políticos ou exilados.

Muitos ratos, nessa época, escondidos nas hordas do então MDB, saíram faceiros das tocas ou dos porões onde se escondiam entusiasmados com a perspectiva de, novamente nas ruas, poder tocar fogo na sociedade como era costume.

Como faziam antes de serem impedidos pelos militares em 1964.

Deu no que vemos hoje, ou víamos no desastroso período em que a esquerda esteve no poder com Lula ou Dilma.

Mas a história se repete.

Ratos enormes - como Zé Dirceu ou seu irmão, Luiz Eduardo - bandidos condenados, recebem pouca atenção da imprensalha no caso do julgamento das prisões em segunda instância pelo STF.

Acontece que tanto esses dois meliantes, quanto outros, como Delúbio Soares, acabarão sendo beneficiados igualmente pela decisão dos 11 de preto, assim como o maior deles, Lula da Silva, o rato de Garanhuns.

Na lista, além dos criminosos mais comuns, aqueles que matam, assaltam e estupram nas ruas, estão 307 políticos -os que assaltam em Brasília - denunciados que aguardam julgamento em primeira instância e mais 85 já condenados em segunda.

Ou seja, é a escória.

A raspa do tacho.

Para poupar tempo e o saco dos brasileiros, o STF poderia parar com o teatro e novamente conceder uma anistia ampla, geral e irrestrita.

Simplesmente.

Maracutaia por maracutaia, qualquer uma vale.

Para quem está habituado a mudar leis e ignorar a Constituição nada mais fácil.

Basta mudar a tipificação dos crimes de Lula e sua gang para algo como ‘crimes políticos com intenção não pessoal e pronto’.

Voilà!

A decretação da anistia na sequência fecharia o assunto.

Tudo estaria resolvido, a bandidagem livre leve e solta, os acordos de porão cumpridos.

E iria certeiramente de encontro à filosofia marxista, que prega que qualquer coisa - qualquer uma mesmo - pode ser feita e perdoada desde que seja pela ‘causa’.

Assim pensam e agem os comunistas.

Então, pra que enrolar?

É só assumir o que já se sabe...a maioria dos ministros, liderados por Toffoli, votará contra a prisão em segunda instância.

E colocará de volta criminosos como Lula ao cenário político.

Se isso não for retrocesso, já não sei o que seria.

O Brasil, este pobre Brasil de quem trabalha já não merece isso.

Não mesmo.

Marco Angeli Full

https://www.marcoangeli.com.br

Artista plástico, publicitário e diretor de criação.

O jornalismo em que você confia depende de você. Colabore com a independência do Jornal da Cidade Online doando qualquer valor. Acesse: apoia.se/jornaldacidadeonline

Comentários