Argentina rumo ao abismo com o cara que fala uma língua para os investidores e outra para os pobres

América Latina, parada Argentina. Sim, a menos que haja um milagre, vai dar merda na eleição próxima.

O peronismo voltará, entre outras razões porque Macri saiu-se mal, fez concessões demais, enfim, não deu muito certo.

Reconheça-se ter herdado uma herança para lá de maldita.

O próximo presidente, Alberto Fernandez, fala uma língua para o empresariado e os investidores, outra para os pobres (50% das crianças passam por privações alimentares: fome mesmo).

Os primeiros não acreditam; os últimos, sim, como sempre, desde a década de 1930, quando o país começou deixar de ser exceção na miserável América Latina de então para se perfilar e até superar os erros da vizinhança.

A fé do povo argentino no peronismo é inversamente proporcional ao bom senso e aos resultados, mas é um dado aparentemente imutável da natureza.

Um dia talvez a Argentina volte a ser um país rico.

Até lá, se for o caso, estaremos nós brasileiros melhor do que os noruegueses, pois o caminho a ser percorrido pelos hermanos é bem mais difícil.

Aurélio Schommer

Membro do Conselho Curador na Fundação Cultural do Estado da Bahia - Funceb e Membro Titular no Conselho Estadual de Cultura da Bahia.

O jornalismo em que você confia depende de você. Colabore com a independência do Jornal da Cidade Online doando qualquer valor. Acesse: apoia.se/jornaldacidadeonline

Comentários