Nem a máquina de moer reputações impediu que Bolsonaro fizesse o que nenhum outro teve coragem

Todos os outros presidentes sabiam da necessidade dessa reforma mas nenhum a levou a sério. Preferiam sempre empurrar para o próximo, ou simplesmente mentir que as contas públicas não sofreriam impacto.

E há uma razão para isso: esse tipo de reforma é extremamente impopular. Ela afeta todos os brasileiros, faz todos pagarem pelos erros de administração de governantes passados. Um presidente que se disponha a fazê-la, vira alvo fácil de ataques de seus opositores.

Um presidente conservador então, que já apanha diariamente por frivolidades, seria massacrado pela máquina de moer reputações comandada pela esquerda. Fariam de tudo para jogar o povo contra ele, principalmente apelar para mentiras, chantagens emocionais e promessas de um futuro sombrio que seriam ecoados em uníssono pela militância ruminante.

Sorte nossa que este presidente se preocupa mais com o Brasil do que com o que dirão dele nos círculos intelectuais progressistas. Bolsonaro não coloca seu ego ou sua reputação acima dos brasileiros. Não tem medo de se tornar impopular, se for o preço a ser pago para aprovar uma medida que tratá progresso de verdade ao nosso País.

Jair Messias Bolsonaro arriscou sua carreira política enfrentando os abutres do sistema para fazer o que seus predecessores disseram que deveria ser feito mas nunca fizeram. E o fez de forma rápida e eficiente.

Isso nos faz questionar: os outros sequer estavam tentando?

E a pergunta não vale só para esta situação. Durante este governo veremos progressos em diversas áreas. Avanços que grupos políticos do passado nos disseram que seriam impossíveis de serem realizados no Brasil. Principalmente em curto prazo. Já vemos estes avanços na segurança, na infraestrutura e na economia. É o resultado de um governo que foca no Brasil e não em conchavos políticos.

Frederico Rodrigues

Analista Político e Membro da Direita Goiás.

O jornalismo em que você confia depende de você. Colabore com a independência do Jornal da Cidade Online doando qualquer valor. Acesse: apoia.se/jornaldacidadeonline

Comentários