A (suposta) paranoia conspiracionista de Jair Bolsonaro e porquê ele está certo

AVISO: o texto a seguir contém altas doses de ironia

Na Argentina, tudo indica que Cristina Kirchner, membro do Foro de São Paulo, voltará ao poder.

Na Bolívia, a fraude nas eleições para manter no poder o membro do Foro de São Paulo, Evo Morales, foi de tal magnitude que deixou os observadores da Organização dos Estados Americanos (OEA) perplexos.

No Chile, as viúvas de Allende já provocaram 18 mortes em protestos muito parecidos aos realizados pela esquerda radical em 2013 no Brasil.

No Brasil, uma Suprema Corte prestes a mudar uma jurisprudência inteira com o único objetivo de soltar um ex-presidente corrupto membro do Foro de São Paulo, causando caos jurídico e social.

Mas há quem diga que acreditar que há uma organização internacional de esquerda que se movimenta para a tomada de poder no continente, a fim de subverter soberanias nacionais em nome de uma Pátria Grande, não é mais que uma teoria da conspiração de uma direita “delirante e absurdamente estúpida”.

Na verdade, segundo essa turma, as declarações de Jair Bolsonaro no sentido de que o Foro de São Paulo está mais vivo do que nunca e de que é preciso se prevenir para enfrentar o pior, não passam de maniqueísmo, de uma tentativa insalubre para pintar um inimigo inexistente e dividir a população para se manter no poder.

Mas não se preocupe leitor, paranoico e conspiracionista é você, que enxerga as mesma relações que o presidente e se preocupa com o que está por vir. Você está louco. Biruta. Praticamente um caso de internação. Quem está bem da cabeça mesmo é quem não enxerga as relações entre os fatos citados, mas vê uma artimanha nas entrelinhas, um maniqueísmo totalitário nas falas do presidente. Essa gente está 100%. Eu garanto.

da Redação

O jornalismo em que você confia depende de você. Colabore com a independência do Jornal da Cidade Online doando qualquer valor. Acesse: apoia.se/jornaldacidadeonline

Comentários