Imprensa travestida de partido político: parei de consumir; detona Carlos Vereza (veja o vídeo)

Em entrevista exclusiva à TV Jornal da Cidade Online, o ator Carlos Vereza não deixou pedra sobre pedra, falando com sinceridade sobre diversos temas, como o envolvimento do ex-presidente Lula na morte do ex-prefeito de Santo André, Celso Daniel, a imprensa vendida, Lei Rouanet e até mesmo sobre os colegas da classe artística.

Sobre o envolvimento de Lula no caso Celso Daniel, Vereza foi incisivo:

“Não é a primeira vez que Marcos Valério levanta essa possibilidade. Agora ele volta e afirma que não apenas o PT, mas que Lula foi o mandante do assassinato de Celso Daniel. Eu espero que dessa vez esse tipo de denúncia vá à frente. Um líder de um partido, que supostamente mandou assassinar um companheiro do mesmo partido, aí realmente não fica caraterizado que é um partido, e sim uma organização à margem da lei, sem a menor dúvida.”

Com relação a mídia brasileira, o ator foi taxativo:

“Eu parei de ver certos programas, parei de comprar certas publicações, porque eu já sabia o que ia ver. Eu não ia ver uma imprensa, não ia ver uma mídia, eu ia ver um partido travestido em imprensa, e em mídia.”

A explicação pela preferência da maciça maioria da classe artística brasileira pela nefasta esquerda:

“O artista tem uma capacidade de vocalização muito grande, porque lida com meios de comunicação. Eu respeito a opção política de cada colega meu, eu preferi ir para outro caminho. Como nunca dependi de financiamento, Ancine, Lei Rouanet... talvez os colegas tenham uma outra visão sobre financiamento, vai ver que eles acreditam que com Lula voltando, novamente as torneiras da Lei Rouanet, da Ancine, vão ficar à disposição de quem precise...”.

Veja o vídeo:

da Redação

O jornalismo em que você confia depende de você. Colabore com a independência do Jornal da Cidade Online doando qualquer valor. Acesse: apoia.se/jornaldacidadeonline

Comentários