Esquerda quer o impeachment de Bolsonaro, mas não sabe nem escrever “impeachment”

Numa democracia, o papel da oposição consiste em oferecer contrapontos às ações do governo, de modo que os governantes de situação não extrapolem suas atribuições.

No Brasil, a oposição se resume a uma competição entre energúmenos histéricos para descobrir quem consegue dar o maior chilique boçal contra qualquer tipo de movimento que Bolsonaro faça.A pirraça da semana é pedir o impeachment do presidente cujo governo já salvou mais de 7 mil vidas (a maioria de negros e pobres) só com a redução do índice de homicídios. Bolsonaro deixou a esquerda tão transtornada, que eles ceifariam essas 7 mil vidas num piscar de olhos se isso os colocasse de volta no poder.

A parte mais engraçada é que, neste momento, intelectuais, celebridades, professores e doutores estão todos fazendo uma campanha no Twitter pedindo o afastamento do presidente, mas errando até mesmo a grafia da palavra "impeachment".

Os idiotas são incapazes de escrever uma única palavra sem cometer um erro básico, mas se acham aptos a derrubar um presidente legitimamente eleito e fazer um trabalho melhor que ele. A empáfia e a histeria são hoje o capim que move a intelectualidade esquerdista.

Continuem o ótimo trabalho. Só comprova o velho ditado, nada pior para um esquerdista do que deixar ele falar.

Frederico Rodrigues

Analista Político e Membro da Direita Goiás.

O jornalismo em que você confia depende de você. Colabore com a independência do Jornal da Cidade Online doando qualquer valor. Acesse: apoia.se/jornaldacidadeonline

Comentários