“Há uma guerra particular entre a Globo e o presidente da República”, diz o jornalista J.R. Guzzo (Veja o vídeo)

CPMI da Censura? Quem tem medo de Sérgio Moro? Porrada na imprensa? Políticos escroques, aproveitadores e parasitas?

J.R. Guzzo, um dos jornalistas mais respeitados do Brasil, falou sobre isso tudo e mais um pouco em entrevista exclusiva à TV Jornal da Cidade Online, por telefone, com a repórter Alessandra de Paula. Ele deu uma aula de jornalismo, criticando a postura de parte da imprensa, que faz militância política, e não jornalismo de verdade.

“Ano passado, parte da mídia disputou eleição com Bolsonaro e perdeu. Agora dobrou a aposta e aumentou a vontade de agir como partido”

Ele comentou, inclusive, sobre a reportagem da Rede Globo que tentou envolver o presidente Bolsonaro na morte da vereadora Marielle Franco.

“Era uma acusação muito grave. Você não pode, sem mais nem menos, colocar no ar uma suposição que o presidente participou de um crime de homicídio, e achar que está tudo bem. Antes de dizer uma coisa dessas, você tem pensar 16 vezes. A prova de que estava errado é que horas depois, a tal testemunha bomba admitiu oficialmente que mentiu. Como você vai acreditar em um noticiário assim?”, ressaltou o jornalista.

Não à CPMI das Fake News

Para Guzzo, o governo, o congresso, a justiça... não tem de fazer lei alguma sobre o direito de expressão. “O governo não tem de querer controlar conteúdo, dizer ‘isso pode, isso não pode’, ‘isso é bom, isso é ruim’, ‘isso é falso, isso é verdadeiro’. Quem tem que ser juiz disso é o público, é o público que julga a fake news”, comentou o jornalista.

“Quem tem medo de Sérgio Moro é o criminoso”

Diante das necessidades imensas que o Brasil possui, com quase 60 mil homicídios registrados em 2018, o pacote anticrime é até tímido, segundo o jornalista.

“Precisamos ter uma legislação muito mais rigorosa em relação aos crimes violentos. A lei é frouxa, a lei há anos tem sido feita para facilitar a vida do criminoso, para dar mais proteção a ele, facilitar a vida de quem desrespeita o código penal e tem dinheiro para pagar advogado. Tem que proibir visita íntima, proibir saída para festejar o Dia dos Pais, Dia das Mães... O sujeito que matou a filha [Alexandre Nardoni] saiu para festejar o Dia dos Pais! A menina não pôde festejar o Dia dos Pais, porque o pai a matou! Nossa lei é totalmente insana”, criticou.

Confira a entrevista abaixo:

da Redação

O jornalismo em que você confia depende de você. Colabore com a independência do Jornal da Cidade Online doando qualquer valor. Acesse: apoia.se/jornaldacidadeonline

Comentários