Com a costumeira cara de pau, Dilma reage indignada a pedido de prisão

Nesta terça-feira (05), a Polícia Federal solicitou a prisão da ex-presidente Dilma Rousseff, do ex-ministro Guido Mantega e do ex-presidente do Senado Eunício Oliveira. Além deles, mais outros sete indivíduos suspeitos de envolvimento na suposta compra, com propina, de apoio político à aliança entre o PT e o PMDB nas eleições presidenciais de 2014.

O pedido, no entanto, foi negado pelo ministro Edson Fachin, relator do caso no Supremo Tribunal Federal (STF).

Ainda na terça, o site do Partido dos Trabalhadores publicou uma nota assinada pela assessoria de imprensa da ex-presidente - nota esta com erros de pontuação, inclusive - sobre o pedido de prisão, classificando-o como "estarrecedora", "absurdo" e "cortina de fumaça". Pura balela.

Além disso, a nota aproveitou mais uma vez a oportunidade para denegrir a imagem do ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, afirmando que este possui um "esforço inconsequente no afã de perseguir adversários políticos". E ainda, não podia ficar de fora da nota a crítica clássica de abuso de autoridade do ministro, sempre presente no discurso de petistas.

Dilma, como de costume, tenta mais uma vez se esquivar de notícias sobre investigações relacionadas a ela com discursos fajutos, assim como fez com as delações de Palocci, Delcídio e tantos outros.

da Redação

O jornalismo em que você confia depende de você. Colabore com a independência do Jornal da Cidade Online doando qualquer valor. Acesse: apoia.se/jornaldacidadeonline

Comentários