Quem diria, o PT na defesa escancarada do DPVAT, a estrovenga que só enriquece os donos de seguradoras

Sujeito precisa ser muito apaixonado em seu ressentimento contra o presidente Bolsonaro para defender a estrovenga chamada DPVAT.

Seguro obrigatório, por definição, não presta.

O causador de um acidente de trânsito tem a possibilidade de contratar o seguro de sua preferência. A maior parte dos ofertados no mercado oferece coberturas de responsabilidade quanto a terceiros acima da tabela oficial do DPVAT.

Se não quer contratar seguro, não cause acidentes. Se ferir alguém, será condenado a indenizá-lo no valor a ser acertado com o acidentado ou determinado por um juiz.

Ademais, o sistema de arrecadação e de pagamento de indenizações do DPVAT alimenta uma estrutura burocrática e, agindo contra esta, uma indústria de fraudes. Deixamos de sustentar ambas com a decisão do governo federal.

Ou seja, faz muito bem, presidente Bolsonaro.

O Congresso que aprove a MP em tempo hábil, não venham os congressistas com argumentos “a favor do pobre” para esconder o desejo de salvar a sinecura de amigos donos de seguradoras que lucram com o tal seguro obrigatório.

Aurélio Schommer

Membro do Conselho Curador na Fundação Cultural do Estado da Bahia - Funceb e Membro Titular no Conselho Estadual de Cultura da Bahia.

O jornalismo em que você confia depende de você. Colabore com a independência do Jornal da Cidade Online doando qualquer valor. Acesse: apoia.se/jornaldacidadeonline

Comentários