O fim do projeto de “Mandela Tupiniquim” encenado por Lula na cadeia

Todos já perceberam que Luiz Inácio perdeu a força e agora o “projetinho de Mandela Tupiniquim” - que sonhava em sair do cárcere para os braços do povo - já caiu na realidade e percebeu um cenário de terra arrasada...

Ciente que perdeu o carisma e a confiança em boa parte do país, ele correu para o Nordeste, achando que lá seria novamente o rei do cangaço. Ledo engano...

A direita já pisou no Nordeste e o mito de que todo nordestino é de esquerda porque tem algum tipo de interesse em benefícios é, além de altamente ofensivo, uma grande bobagem!

Tenho o prazer de fazer parte da equipe que viaja o Nordeste em fóruns conservadores e posso assegurar que o nível de entendimento político do povo nordestino é muito alto, mas só o que chega para as demais regiões do país é o extrato do petismo, o coitadismo e a ingenuidade de um povo guerreiro e esquecido.

Nada assusta mais um populista de esquerda do que um nordestino bem letrado, que fala manso, mas fala bem; que introduziu naturalmente em seu vocabulário as palavras que absorveu lendo bons livros e que compreende os conceitos de “massa de manobra” e “miséria programada”.

A partir deste ponto o PT terá dois caminhos:

Ou aceita que seu líder perdeu a força popular e recomeça pelas bases criando um novo nome (o que dificilmente aconteceria sob a ótica do vaidoso nove dedos), ou abre os cofres e tenta comprar o que perdeu...

Mais do que nunca a militância de direita é necessária porque estamos presenciando a agonia de um grande líder mundial e, no último suspiro, o ser humano é capaz de qualquer coisa, notadamente quando se trata de uma figura sem escrúpulos como Lula.

Conservadores do Nordeste: Atentos!

Raquel Brugnera

Pós Graduando em Comunicação Eleitoral, Estratégia e Marketing Político - Universidade Estácio de Sá - RJ.

O jornalismo em que você confia depende de você. Colabore com a independência do Jornal da Cidade Online doando qualquer valor. Acesse: apoia.se/jornaldacidadeonline

Comentários