Folha se supera e consegue fazer a chamada mais “canalha” de sua história

O jornalismo às avessas praticado pela Folha de S.Paulo conseguiu se superar e atingir o ápice da canalhice.

Tentando denegrir a família do presidente da República, o jornal maculou a honra do empresário Gustavo Corrêa, cunhado da apresentadora Ana Hickmann.

Em 2016, Corrêa, para proteger a esposa Giovana e a própria Ana Hickmann, precisou atirar em Rodrigo Augusto de Pádua, um fã que invadiu armado o quarto do hotel de Belo Horizonte onde a família estava para um compromisso de trabalho. O rapaz acabou falecendo.

Rodrigo chegou a atingir Giovana. O tiro atravessou seu braço esquerdo, entrou na barriga, perfurou os intestinos grosso e delgado e foi parar perto do fêmur. Após cirurgia e fisioterapia, felizmente não ficou nenhuma sequela.

Gustavo agiu na clássica legítima defesa de terceiros, no caso a esposa e a cunhada.

Mesmo assim respondeu processo, mas foi absolvido por unanimidade pela 5ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça de Minas Gerais.

Portanto, não deve nada a ninguém. Está livre. Absolvido. Inocente.

Esta semana, Gustavo foi homenageado na Câmara dos Deputados, por indicação do deputado Eduardo Bolsonaro.

A Folha conseguiu fazer para o acontecimento a chamada mais ‘canalha’ de sua história.

“Indicado por Eduardo Bolsonaro, empresário Gustavo Corrêa matou fã de Hickmann em hotel de Belo Horizonte após emboscada.”

Uma lástima!

da Redação

O jornalismo em que você confia depende de você. Colabore com a independência do Jornal da Cidade Online doando qualquer valor. Acesse: apoia.se/jornaldacidadeonline

Comentários