Em decisão autoritária, juiz do Ceará suspende nomeação de presidente da Fundação Palmares

Na última quarta-feira, 4, foi suspensa a nomeação de Sérgio Nascimento de Camargo para Presidência da Fundação Cultural Palmares. A decisão foi tomada pelo Juiz Emanuel José Matias Guerra, da 18º vara federal do Ceará, acatando o pedido da ação popular feita pelo advogado Hélio de Souza Costa. Sérgio foi indicado ao cargo pelo ministro Onyx Lorenzoni.

A nomeação de Sérgio é prerrogativa do Executivo e trata-se de função DAS (Direção e Assessoramento Superior) ou seja, cargo de confiança. Especialistas em Direito afirmam que, portanto, o magistrado não poderia suspender a nomeação.

Filho do militante e especialista em literatura negra Oswaldo Camargo, Sérgio não é adepto ao movimento negro das redes sociais e faz declarações polêmicas a respeito da dessa questão. É totalmente contra o dia da consciência negra que, segundo alega, “‘celebra’ a escravização de mentes negras pela esquerda” e acredita que isso precisa ser abolido.

O Juiz Emanuel José Matias afirmou que Sérgio fez declarações que atacam as minorias que deveriam ser defendidas pela fundação Palmares. “Não serão aqui repetidos alguns dos termos expostos nas declarações (...)” registrou Emanuel.

Sérgio Camargo tem convicção de que o racismo não existe e está enraizado na sociedade como vitimismo, ele se define “contra o vitimismo e o politicamente correto”.

da Redação

Comentários