Ex-presidente, adorado pela esquerda, defende a legalização da cocaína

Um homem de 84 anos, que durante sua gestão como presidente do Uruguai legalizou o consumo da maconha.

Na época, Pepe Mujica garantia que a liberação da droga diminuiria a violência no país.

Aconteceu o contrário, segundo o site UOL:

“Até recentemente visto como uma ilha de tranquilidade em meio aos altos índices de violência registrados na América Latina, o Uruguai vive uma explosão na quantidade de crimes. Em 2018, o número de assassinatos subiu 35% em relação a 2017.
Críticos da descriminalização da maconha estabelecem uma ligação direta com o aumento de crimes. Um deles é o ministro brasileiro da Cidadania, Osmar Terra.
Em seu perfil no Twitter, ele postou no começo do ano: “Quem não vê relação entre o aumento de mortes violentas e a liberação da maconha deve procurar todas as declarações do [ex-] presidente [José] Mujica na época em que patrocinou a liberação, todas, sem exceção, garantindo que liberando a maconha diminuiria a violência no Uruguai!”.

Mesmo diante de tal resultado, o mesmo Mujica agora defende a liberação da Cocaína.

Eis as suas mais recentes declarações, segundo divulgado pela Revista Veja:

“Deveríamos ter a coragem de legalizar o consumo de cocaína, registrar os consumidores e identificá-los”, afirmou o ex-presidente, de 84 anos. “E aí vamos ter um problema médico, mas, no lugar de gastar em aparatos de repressão, vamos gastar com enfermeiros. (…) Mas para isto tem que haver muita coragem política”, completou.
Mujica foi questionado sobre a situação do Uruguai após a legalização do consumo de maconha. “Eu acho ridículo prender um menino por fumar um cigarro. Eu não recomendo nenhuma droga, pelo contrário”, respondeu. “Por que existe o narcotráfico? Por dois motivos: porque existem consumidores e porque proibimos o consumo”, continuou. “E ao proibir, o transformamos em um negócio fantástico, porque tudo que é proibido custa muito mais.”

Quanta irresponsabilidade! Quanta canalhice!

A verdade é que todo mundo envelhece...

da Redação

Comentários