Professor Rafael Nogueira: o grande nome que assume a Biblioteca Nacional, nomeado por Roberto Alvim

O professor Rafael Nogueira assumiu oficialmente a Biblioteca Nacional nesta sexta-feira, 06/12, no Rio de Janeiro-RJ. Aluno dedicado do professor Olavo de Carvalho há mais de 15 anos, foi nomeado na última semana, pelo secretário especial da Cultura, Roberto Alvim.

A Biblioteca Nacional é maior da América Latina e uma das 10 maiores do mundo. É oficialmente chamada de Fundação Biblioteca Nacional e é depositária do patrimônio bibliográfico e documental do Brasil.

Antes de ser nomeado, Nogueira ministrava, em várias cidades do Brasil, cursos de estudos de autores clássicos da filosofia, literatura e história. Ficou mais conhecido pela atuação na produtora Brasil Paralelo, onde foi consultor de documentários e professor de projetos educacionais, mas atua em bibliotecas desde jovem: seu primeiro emprego foi na Biblioteca da Academia Santista de Letras.

Em uma cerimônia tranquila, agradeceu a confiança de seus superiores - o Secretário especial da Cultura Roberto Alvim, o Ministro do Turismo Marcelo Álvaro Antônio e o Presidente da República Jair Bolsonaro - e tranquilizou os funcionários que estavam temerosos de estarem diante de alguém que 'queimaria livros', como certos histéricos comentam em redes sociais: "Todos os cuidados com a ampliação, a preservação e a difusão segura do acervo serão tomados, garantiu Nogueira, ressaltando que a secretraria de Cultura ofertará tudo o que for possível para suprir as necessidades da Fundação.

Apesar das reações negativas de algumas pessoas, ele disse que foi bem recebido pela maioria dos funcionários. "Mesmo os que se manifestam contra mim foram educados e respeitosos ao manifestar suas preocupações e solicitações", postou no último dia 04/12, nas redes sociais.

No discurso de posse, disse que deseja explorar mais vocação formativa da biblioteca, visando colaborar com os esforços para que ela forme leitores de alto nível, e, quem sabe, grandes inteligências. "Sabemos que Machado de Assis, em grande medida, formou-se a si mesmo estudando no Real Gabinete Português", lembrou.

Outra missão à qual pretende se dedicar é a comemoração do bicentenário da Independência, que será em 2022, mas deve ter um calendário de eventos preparatórios que inclui pesquisa e difusão de conhecimento para resgatar e valorizar a memória Nacional.

Confira o meu comentário sobre a cerimônia no vídeo:

Herbert Passos Neto

Jornalista. Analista e ativista político.

O jornalismo em que você confia depende de você. Colabore com a independência do Jornal da Cidade Online doando qualquer valor. Acesse: apoia.se/jornaldacidadeonline

Comentários