Após execração pública, deputado muda e diz que não concorda com dinheiro da saúde e educação no Fundão

A história do deputado Dagoberto Nogueira Filho demonstra que ele nunca se importou muito com a opinião pública. Sempre fez politica sem nenhuma coerência, conseguindo os seus mandatos através de esquemas políticos construídos com muito dinheiro.

Filiado ao PDT, detém o comando do partido em Mato Grosso do Sul e, assim, controla com mãos de ferro o malfadado fundo partidário que cabe ao partido no estado.

Com a grana sob seu controle, sempre foi favorável ao financiamento público de campanha e favorável ao absurdo aumento do fundo eleitoral.

Porém, após a execração pública a que foi submetido nesta segunda-feira (9) em pleno aeroporto de Campo Grande (MS), conforme matéria publicada pelo Jornal da Cidade Online, Dagoberto enviou nota para a nossa redação onde declara textualmente o seguinte sobre o aumento do fundo eleitoral:

“Quero deixar claro que não concordo em retirar dinheiro da saúde, educação ou qualquer outra área prioritária para a população.”

Esse novo posicionamento é uma clara demonstração de que a pressão popular realmente funciona.

Veja abaixo a íntegra da nota enviada pelo parlamentar do PDT:

Sobre o episódio que ocorreu na manhã desta segunda-feira (09) no aeroporto de Campo Grande, onde fui questionado sobre a votação do fundo eleitoral na Comissão Mista de Orçamento - CMO, gostaria de dizer, em primeiro lugar, que essa votação ainda não ocorreu no plenário da Câmara, o que só deve acontecer na próxima semana, juntamente com a votação do Orçamento 2020.
Talvez essa matéria nem seja votada neste ano.
Em segundo lugar, o PDT ainda não se posicionou sobre o aumento ou não do fundo eleitoral, e quero deixar claro que não concordo em retirar dinheiro da saúde, educação ou qualquer outra área prioritária para a população.
Por fim, sou favorável ao financiamento público de campanha, para que assim os parlamentares tenham independência em relação às empresas privadas. Lembramos que o financiamento privado de campanhas foi protagonista de um dos maiores escândalos de corrupção do país.
Dessa forma, entendo que o financiamento público traz, além de independência ao candidato, mais transparência às campanhas eleitorais. E, como defensor da democracia que sempre fui, respeito toda manifestação popular e considero o combate à corrupção uma das principais bandeiras do nosso mandato.

Na realidade, Dagoberto Nogueira votou na última semana pela aprovação da elevação do fundo eleitoral de R$ 2 bilhões para R$ 3,8 bilhões. O parlamentar de Mato Grosso do Sul é um dos 23 deputados que aprovaram a medida na Comissão Mista de Orçamento. Espera-se agora, diante destas declarações, que ele mude o seu voto no plenário da Câmara dos Deputados.

da Redação

O jornalismo em que você confia depende de você. Colabore com a independência do Jornal da Cidade Online doando qualquer valor. Acesse: apoia.se/jornaldacidadeonline

Comentários