Filho de peixe, peixinho é: empresa de Lulinha é alvo de operação da Lava-Jato

Nesta terça-feira (10), a Polícia Federal realiza a 69ª fase da Operação Lava-Jato, chamada "Mapa da Mina", que visa investigar pagamentos suspeitos de mais de R$ 132 milhões da Oi para empresas controladas por Lulinha (Fabio Luis Lula da Silva), filho do ex-presidente Lula.

A empresa de telefonia teria se beneficiado com a "parceria" recebendo atos praticados pelo Governo Federal. Os pagamentos foram realizados entre 2004 e 2016 e "sem justificativa econômica plausível", segundo o Ministério Público Federal.

“As investigações apontam que as empresas do grupo Gamecorp/Gol [pertencente ao filho de Lula] não possuíam mão de obra e ativos compatíveis com a efetiva prestação dos serviços para os quais foram contratadas pela Oi/Telemar”, diz a nota do Ministério Público Federal.

Entre 2005 e 2016, o MPF aponta que a Oi foi responsável por 74% dos recebimentos da empresa de Lulinha, em sociedade com Fábio Luís Lula da Silva, Fernando Bittar, Kalil Bittar e Jonas Suassuna. Cabe ressaltar que Fernando e Jonas também são os proprietários sítio de Atibaia.

Lulinha talvez esteja mais próximo de permanecer no antigo habitat de seu pai em Curitiba. Filho de peixe, peixinho é.

da Redação

Comentários