Carvalhosa: "O acordo firmado entre o corrupto PT e o tirano do Senado Davi Alcolumbre"

Nesta sexta-feira (12), o jurista Modesto Carvalhosa publicou, através de suas redes sociais, criticou a decisão do presidente do Senado, Davi Alcolumbre, de não colocar para votação no plenário o Projeto de Lei do Senado (PLS) 166/18, que possibilita a prisão após decisão em segunda instância. Na terça-feira (10), o PL chegou a ser votado e aprovado na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado.

A justificativa de Alcolumbre é a de que há um acordo entre deputados e senadores de priorizar a votação da proposta de emenda constitucional (PEC) sobre o mesmo tema que ocorre na Câmara, como informou a Agência Brasil.

Para Modesto, tal decisão "constitui mais um ato lesa-pátria" de Davi.

Veja a declaração completa:

"O acordo firmado entre o corrupto PT e o tirano do Senado Davi Alcolumbre para impedir a remessa imediata à Câmara do PL n. 166 aprovado por 22 a 1 na CCJ daquela Casa, constitui mais um ato lesa-pátria desse Senhor, que em menos de um ano conseguiu inscrever-se dentre os quatro maiores inimigos do povo brasileiro.

O Senado, como representante da vontade legítima da Cidadania, cumpriu com o seu dever, aprovando a restauração da segunda instância. O Brasil, não obstante, por vontade de um só indivíduo, Davi Alcolumbre, continua a ser o único país do mundo que permite que criminosos de todo gênero continuem a conviver diariamente com suas vítimas.

Ao que tudo indica, no Ano Novo que se aproxima, a antiga forma de se fazer política ainda vai tentar de tudo para sobreviver, mesmo que ultrapassada e muito mais carcomida e decadente.

Mas que a Cleptocracia não se engane: o Povo Brasileiro saberá resistir e haverá de vencer.

*bela foto de Wesley Rodrigues de uma das tantas manifestações do Povo Brasileiro contra a corrupção no Brasil, disponível na internet."

da Redação

O jornalismo em que você confia depende de você. Colabore com a independência do Jornal da Cidade Online doando qualquer valor. Acesse: apoia.se/jornaldacidadeonline

Comentários